22.8.19

Resenha: A Mágica da Arrumação - Marie Kondo


A AUTORA E O LIVRO

Depois do lançamento em Janeiro de 2019 da série da Netflix Ordem na Casa com Marie Kondo (em inglês: Tidying up with Marie Kondo), acho difícil alguém que não ouviu falar na autora japonesa. Guru de organização, seu método simples para desacumular e organizar conquistou o mundo ao promover a ideia de se ter apenas coisas que te trazem alegria. 

O chamado método KonMari tem dois passos: primeiro, você junta todos os objetos de uma mesma categoria, como roupas, e os pega um por um, para decidir quais devem ser mantidos a partir do critério se te trazem alegria ou não. Em seguida, você organiza o que não foi jogado fora, partindo do princípio que deve haver um lugar para cada coisa em sua casa e que objetos da mesma categoria devem ficar no mesmo lugar (por exemplo, todas as roupas vão para o armário do quarto e todos os livros para a estante da sala).

Em suas apenas 160 páginas, o livro A Mágica da Arrumação explica o método KonMari, dando também dicas sobre como arrumar as coisas e o já conhecido método de dobrar roupas da autora. A obra também traz reflexões básicas e rápidas sobre a filosofia do descarte em um mundo de consumo excessivo e que objetos materiais são realmente necessários para uma vida plena. Com uma narrativa objetiva e intimista, já que Kondo conta de sua própria experiência e de seus clientes com o assunto, a leitura de A Mágica da Arrumação é rápida e gostosa.


A LEITURA VALE A PENA?

Tendo ouvido falar tanto dos livros da Marie Kondo, eu comecei A Mágica da Arrumação com altas expectativas, mas também muito cinismo. A própria sinopse e primeiro capítulo do livro prometem que a leitura vai revolucionar sua vida e, particularmente, não sou capaz de não olhar com desconfiança para obras que vendem soluções rápidas e baratas de autoajuda.

E não, A Mágica da Arrumação não mudou a minha vida. Em defesa do livro, eu não segui o método 100%, visto que há alguns meses precisei me mudar e já tinha aproveitado para me livrar de grande parte das coisas que não usava ou queria. Logo, não fiz exatamente o primeiro passo do método KonMari, apesar de que gosto da ideia da autora de mantermos apenas o que nos traz alegria. E é preciso dizer que esse conceito é bem mais profundo do que parece à primeira vista. 

Quando fala sobre termos algo que nos traz alegria, Kondo não quer dizer apenas sobre o sentimento raso de gostar de alguma coisa. Por exemplo, ninguém realmente gosta da garrafa de água que está na geladeira, mas ela é necessária para o funcionamento da sua casa e se cumpre bem o seu papel de guardar a água que bebemos, logo, ela traz sim um tipo de alegria mais profunda, um contentamento por termos algo que serve bem a seu propósito. Assim, por mais simples que o método de A Mágica da Arrumação possa parecer, acho que se alguém quer empregá-lo no dia a dia, é interessante ler o livro para verdadeiramente compreender as ideias de Kondo.

O que mais gostei em A Mágica da Arrumação, entretanto, foram as dicas de arrumação. Kondo, que passou a sua vida inteira obsessivamente estudando arrumação, no fim, prega a ideia para que não fiquemos obcecados por isso. O livro propõe que, uma vez que definimos um lugar para cada coisa e nos esforcemos diariamente para guardar tal coisa sempre em seu lugar, é o suficiente para impedir que a casa não se transforme em uma bagunça novamente. Em vez de comprar organizadores e caixas para tudo, o livro nos instrui a já usar o espaço que temos e guardar as coisas de modo organizado, mas sem categorizações absurdas ou métodos complicados.


Entretanto, há duas coisas que me incomodaram em A Mágica da Arrumação. Primeiramente, a ideia de que se livrar de um monte de coisas e arrumar as que sobraram vai revolucionar sua vida é bem absurda para mim. Kondo conta que muitos de seus clientes perderam peso, mudaram para carreiras que realmente os agradava e se transformaram após seguir seus ensinamentos, mas eu acho que criar essa relação de que tudo o que você precisa para colocar sua vida em ordem é arrumar a sua casa é muito simplista e completamente irrealista. Claro que um pouco de desapego de coisas materiais e organização nunca matou ninguém, mas seres humanos são bem mais complexos que isso e arrumar a casa não vai resolver todos os seus problemas.

Segundo, para um livro que fala tanto de descarte, achei que A Mágica da Arrumação precisava ter um diálogo mais completo sobre consumo. É muito fácil simplesmente jogar as coisas fora e, como a própria Kondo diz, caso depois precise delas ou se arrependa, você pode comprar novas. Novamente, essa é uma ideia muito simplista, pois não necessariamente a pessoa depois terá oportunidade e condições de recomprar coisas, assim como, no final, isso não resolve o problema de verdade, já que para acumular coisas, você precisa comprá-las em primeiro lugar. 

E quando Kondo fala sobre seus clientes, é possível perceber que grande parte deles se trata realmente de compradores ou acumuladores compulsivos. E, em casos assim, se livrar dos objetos acumulados (e não tratar dos aspectos psicológicos e sociais que faz a pessoa comprar e acumular tanto) é tampar o sol com a peneira. Senti muita falta, durante a leitura de A Mágica da Arrumação, de dicas sobre como não comprar demais ou comprar de forma mais inteligente. A maioria de nós tem um lado consumista e vive em um mundo que faz de tudo para te convencer a sempre comprar mais, por isso, mais do que descartar, acho que Kondo deveria ensinar como sermos compradores mais comedidos e inteligentes.

Em resumo, A Mágica da Arrumação vale a pena ser lido por suas dicas simples de serem aplicadas no dia a dia e como uma inspiração para se desapegar principalmente de roupas e livros e organizar melhor a casa. Mas não espere algo revolucionário que resolverá todos os seus problemas, como a autora promete. Como filosofia, o método de Kondo é simplista e em muitos aspectos incompleto. Ele fala muito sobre descarte sem tratar a causa do problema: o consumo excessivo.

QUOTES FAVORITOS

“Imagine como seria ter prateleiras contendo apenas livros que você adora. Para quem ama livros, o que poderia trazer mais felicidade?” pág. 76

“Livros são essencialmente papel – folhas de papel com letras impressas. Seu verdadeiro proposito é ser lido, transmitir informações.” Pág. 77



Título: A Mágica da Arrumação
Título original: 人生がときめく片づけの魔法
Autora: Marie Kondo
Editora: Sextante 
ISBN: 9788543102092 
Ano: 2015
Páginas: 160 
Compre: Amazon

17.8.19

Resenha: O Reino de Zália - Luly Trigo


A HISTÓRIA

Zália é uma princesa, mas não a herdeira do trono de Galdino, um arquipélago tropical, por isso foi criada longe do castelo e dos conflitos da monarquia. Apesar de um ou outro compromisso real, ela levou uma adolescência tranquila em um internato, onde sonhou, após se formar, viajar pelo mundo e viver de sua paixão: a fotografia.

Mas os planos de Zália são frustrados com uma tragédia. No final de seu último ano de escola, seu irmão mais velho, o herdeiro, é assinado pela Resistência. E agora, por causa dos problemas de saúde do pai, Zália precisa se tornar regente e escolher o futuro de seu país. Acontece que ela não foi preparada para nada disso. Zália não entende de leis, pronunciamentos, conselheiros e nada mais relacionado as atividades de monarca.

13.8.19

Resenha: A Caça - M.A. Bennett


A HISTÓRIA

Greer MacDonald achou que tinha tirado a sorte grande ao ganhar uma bolsa para estudar no exclusivo colégio interno STAGS. Contudo, ela rapidamente percebe que não se adapta entre os outros estudantes, jovens criados em meio a muito luxo e dinheiro. Mas apesar de ninguém falar com ela, pelo menos ninguém a persegue, como acontece com Shafeen e Chanel, respectivamente um estudante indiano e uma nova rica pouco aceitos pelos Medievais, os monitores e também o grupo mais popular do colégio.

Apesar de achar os Medievais extremamente bonitos e inteligentes, Greer tem certeza que são todos um pouquinho sádicos. Afinal, ela já viu filmes o suficiente para saber como pessoas ricas da nobreza britânica podem ser estranhas. Contudo, o líder dos Medievais, Henry de Warlencourt, não parece tão terrível. E é justamente por isso que Greer aceita o misterioso convite que recebe para passar um final de semana na casa dele.

8.8.19

Resenha: Segredo de Sangue - Tess Gerritsen


A HISTÓRIA

A detetive Jane Rizzoli e a legista Maura Isles investigam mortes há tanto tempo que poucas coisas as surpreendem. Contudo, quando encontram o corpo da jovem Cassandra Coyle sem os olhos, elas logo percebem que não estão diante um caso, ou um assassino, comum. Maura fica obcecada pelo assassinato justamente por não conseguir determinar a forma como Cassandra morreu, já que seus olhos foram arrancados após a morte. Enquanto isso, Jane não encontra nenhum suspeito, Cassandra podia ter um fascínio incomum por filmes de terror, mas não tinha inimigos, dívidas ou qualquer outro motivo para ter sua vida ceifada tão cedo.

É graças a seu passado conturbado com um ex amante que Maura nota algo interessante. O modo como o corpo de Cassandra foi posicionado, com os olhos na mão, lembra a forma particular como uma santa católica (que teve seus olhos arrancados) é retratada. Mas, a pista parece sem saída até que outro assassinato ocorre. Dessa vez, um homem, Timothy McDougal, é deixado em um píer na véspera de Natal com três flechas atravessadas no peito. Mais uma vez a cena do crime lembra a imagem de um santo, mas não há qualquer relação entre as vítimas.

6.8.19

Lançamentos de livros de Agosto da Arqueiro e Sextante


O mês mais longo do ano chegou. Todo mundo sabe que Agosto dura pelo menos 84 anos em vez de 31 dias, mas pelo menos temos muitas novidades das Editoras Arqueiro e Sextante para ocupar o nosso tempo. Entre os lançamentos estão grande nomes como Mary Balogh, Lucinda Riley e Harlan Coben, mas também autores como a Jenny Colgan, que já começou a conquistar o coração dos brasileiros. Agosto também vai agradar a todos os gostos, com chegada de romances de época e sobrenatural, mas também suspense e não-ficção, desde obras de autoajuda até a biografia de um dos maiores escritores do nosso país. Saiba mais:

- Relembre os lançamentos de Julho


Uma Paixão e Nada Mais - série Clube dos Sobrevivenes - vol. 4 - Mary Balogh
Ao voltar para casa depois das Guerras Napoleônicas, Flavian, o visconde de Ponsonby, ficou arrasado ao ser abandonado pela noiva. Agora a mulher que partiu seu coração está de volta, e todos estão ansiosos para que eles reatem o noivado. Exceto Flavian, que, em pânico, corre para os braços de uma jovem sensível e encantadora. Apesar de ter sido casada por quase cinco anos, a viúva Agnes Keeping nunca se apaixonou, nem quer se apaixonar. Aos 26 anos, ela prefere manter o controle de suas emoções e de sua vida. Porém, ao conhecer o carismático Flavian, fica tão arrebatada que acaba aceitando seu impetuoso pedido de casamento. Quando descobre que Flavian pediu sua mão apenas para se vingar da antiga paixão, Agnes decide fugir. Mas Flavian não tem a menor intenção de deixar a esposa partir, principalmente após descobrir que, para sua própria surpresa, está completamente apaixonado por ela.

A Padaria dos Finais Felizes - Jenny Colgan
Um balneário tranquilo, uma loja abandonada, um apartamento pequeno. É isso que espera Polly Waterford quando ela chega à Cornualha, na Inglaterra, fugindo de um relacionamento tóxico. Para manter os pensamentos longe dos problemas, Polly se dedica a seu passatempo favorito: fazer pão. Enquanto amassa, estica e esmurra a massa, extravasa todas as emoções e prepara fornadas cada vez mais gostosas. Assim, o hobby se transforma em paixão e logo ela começa a operar sua magia usando frutos secos, sementes, chocolate e o mel local, cortesia de um lindo e charmoso apicultor. A padaria dos finais felizes é a emocionante e bem-humorada história de uma mulher que aprende que tanto a felicidade quanto um delicioso pão quentinho podem ser encontrados em qualquer lugar.


A Garota Do Penhasco - Lucinda Riley
Tentando superar um coração partido, Grania Ryan deixa Nova York e volta para a casa dos pais, na costa da Irlanda. Lá, na beira de um penhasco, em meio a uma tempestade, ela conhece Aurora Lisle, uma garotinha de 8 anos que mudará sua vida para sempre. Apesar dos avisos da mãe para ter cuidado com os Lisles, Grania e Aurora ficam cada vez mais próximas, e ela passa a cuidar da menina sempre que Alexander, o belo e misterioso pai, precisa viajar a trabalho. O que Grania ainda não sabe é que há mais de cem anos o destino das famílias Ryan e Lisle se entrelaçam inexoravelmente, nunca com um final feliz. Através de cartas antigas, Grania descobre a história de Mary, sua bisavó, e começa a perceber quão profundamente conectadas as duas famílias estão. Os horrores da guerra, o destino de uma criança, a atração irresistível pelo balé e amores trágicos vão deixando sua marca através das gerações. E agora Grania precisa escolher entre seguir em frente ou repetir o passado. Alternando entre romance histórico e contemporâneo, A garota do penhasco é um livro sobre mulheres fortes, grandes sacrifícios e a capacidade do amor de triunfar sobre tudo.