20.8.18

Resenha: A Verdade Sobre Amores e Duques - Laura Lee Guhrke


A HISTÓRIA

No passado, Henry Cavanaugh, o duque de Torquil, se deixou levar pelos seus sentimentos e acabou se arrependendo amargamente. Agora, ele vive apenas sobre as regras da lógica e do dever. Ele quer garantir que a sua família e suas propriedades sejam bem cuidadas e nada mais. Contudo, quando descobre que sua mãe fugiu de casa para se casar com um pintor, o mundo do duque desmorona. Se sua mãe seguir com esse matrimônio impulsivo, destruirá a reputação de toda a família.

“- Amamos quem amamos, Henry. O amor não pode se curvar à vontade pessoal.” pág. 60

Sabendo que a duquesa viúva não o escutaria, Henry decide recorrer a outra pessoa para resolver o problema. Aparentemente, foi a conselheira amorosa Lady Truelove que incentivou a mulher mais velha a seguir seu coração. E, agora, o duque vai obrigar a jornalista a convencer a mãe dele a voltar para o lado da razão. Irene Deverill surpreende-se quando o duque de Torquil descobre que ela dá conselhos amorosos em seu jornal, sobre o pseudônimo de Lady Truelove. Mas, ela fica mais chocada ainda quando ele a chantageia para resolver toda a confusão de sua família. A frente de seu tempo, Irene é uma sufragista que se orgulha de sustentar a família com seu trabalho. Assim, quando Henry ameaça fechar seu jornal, ela não vê outra opção além de ceder as ameaças dele. 

16.8.18

7 clichês de capas de livro


Para o bem ou para o mal, a capa de um livro é extremamente importante. Digam o que quiser, mas todo mundo julga, já julgou ou julgará uma obra pela sua capa. E, na verdade, por mais que devêssemos evitar decidir se uma leitura vale a pena só pelo exterior do livro, as capas não devem ter sua importância diminuída. Afinal, elas são resultado do trabalho valioso e exaustivo de capistas e de toda a equipe de produção das editoras. Contudo, precisamos concordar que por mais que há várias capas maravilhosas nas livrarias, algumas bem únicas e inusitadas, em geral, elas são bastante clichês. Ainda mais quando agrupamos as obras por gênero! Não é difícil saber que um livro estampando um dragão é uma fantasia, ou que uma silhueta de um homem distante provavelmente é a capa de um romance policial. 

Por isso, hoje decidi fazer uma listinha rapidinha sobre os estilos de capas mais comuns que encontramos por aí, com o lado positivo e negativo de cada uma delas! Lembrando que, do mesmo jeito que nem sempre clichês em histórias são ruins, o mesmo acontece com as capas! Só porque elas seguem um estilo que já conhecemos bem, não significa que a capa é feia ou que o trabalho do capista/editora que a fez é ruim. A ideia do post é só se divertir um pouco falando sobre os estilos mais comuns de capas de livros aqui no Brasil, ok? Sem mais delongas, confiram o post de hoje:

Leia também:
7 capas de livro que me enganaram
27 capas de livros que combinam perfeitamente com o inverno
As 7 melhores e mais bonitas capas de livros de 2017


1 - Mulher de costas

Os capistas amam colocar mulheres em capas, e uma das posições favoritas deles parecem ser com a bendita de costas. Por um lado, esse estilo de capa dá um ar misterioso a história, já que não vemos muito do rosto da mulher e ficamos imaginando para quem ou o que ela está olhando (ainda mais quando a mulher está em uma janela). Mas, não são só livros de mistério que trazem esse tipo de capa, muitos romances também investem na imagem da mulher de costas. E se for um romance erótico ou de época, melhor ainda, já que ela vai estar, provavelmente, com parte do vestido aberto ou com as costas totalmente nuas, o que dá um ar sensual a obra. 

14.8.18

Resenha: Inocência? - Gail Carriger


ATENÇÃO! Essa resenha contém spoilers dos livros Alma? e Metamorfose?

A HISTÓRIA

Alexia Tarabotti se tornou a mulher mais feliz do mundo depois de se tornar Lady Maccon. Ela não esperava se apaixonar pelo lobisomem mais poderoso, teimoso e charmoso da Inglaterra, mas isso aconteceu. E, além disso, ela ainda se tornou uma conselheira da Rainha Vitória em questões de conflitos sobrenaturais. Mas, após sua viagem a Escócia, tudo isso mudou. Alexia ajudou o marido a salvar sua antiga alcateia… e acabou sendo rejeitada por Lorde Maccon

No final da viagem, Alexia descobriu que estava grávida e, como não há registros de lobisomens procriando, Lorde Maccon se convence de que a esposa o traiu. Ultrajada pela acusação, Alexia abandona o marido e volta a morar com sua família, o que já é terrível por si só. Contudo, tudo pode piorar e Alexia perde seu cargo no conselho da Rainha e acaba sendo expulsa também da casa de sua família. Enquanto procura um novo abrigo, Alexia é atacada por joaninhas mecânicas assassinas e percebe que alguém a quer morta, e o mais rápido possível. Parece que toda a Inglaterra odeia ou quer matar Alexia agora, assim, ela decide deixar o país. 

11.8.18

Os 7 livros mais bem escritos que já li


Algumas histórias nos marcam por seus momentos inesquecíveis ou personagens cativantes. Outras, por sua narrativa única ou inusitada. Cada leitor terá uma resposta diferente quando questionado sobre o que é um livro bem escrito, afinal, cada pessoa é atingida de maneira diferente por uma obra. Mas, para mim, um livro bem escrito não necessariamente se limita apenas uma narrativa bonita, poética, refinada ou inteligente. Além de tudo isso, um livro bem escrito, para mim, é aquele que consegue nos envolver profundamente na história, mesmo que use uma linguagem muito simples e um estilo nem um pouco rebuscado. 

Se, enquanto leio um livro, consigo imaginar perfeitamente as cenas e personagens narrados e, mais do que isso, me sentir na pele dos protagonistas e nos lugares descritos, esse livro foi bem escrito, com certeza! E eu já li muitos livros assim, mas alguns se destacaram com narrativas únicas que, mesmo depois de muito tempo, ainda consigo me lembrar do quanto me impactaram. E, pensando nisso tudo, resolvi reunir em uma listinha alguns dos livros mais bem escritos que já li! E já aviso que as recomendações são diversas, desde obras voltadas para jovens até clássicos cults e distopias que viraram série de TV! Sem mais delongas, conheçam as obras:

Leia também:

quando-tudo-faz-sentido-amy-zhang-rocco-jovens-leitores-adolescente-suicidio-bullying-os-7-livros-mais-bem-escritos-que-ja-limademoisellelovesbooks

“Outras meninas pequenas tinham medo do escuro, cresciam e deixavam seus medos para trás. Liz tinha medo do silêncio e segurava seus medos com tanta força que eles cresciam, cresciam e a engoliam.”

Quando Tudo Faz Sentido - Amy Zhang

A escrita de Amy Zhang em Quando Tudo Faz Sentido é tão cativante que logo nas primeiras páginas fiquei presa ao livro, só conseguindo largá-lo algumas horas depois, quando o terminei. O único defeito da obra é ter personagens bastante adolescentes, com os quais os leitores mais velhos talvez não se identifiquem. Contudo, de resto, o livro é incrível. Quando Tudo Faz Sentido tenta nos fazer desvendar o mistério de porque a garota mais popular da escola, com a vida aparentemente perfeita, tentou se matar. Apesar de abordar temáticas tensas e importantes, como bullying, depressão, suicídio, bulimia, drogas, aborto, etc, a leitura é leve e bastante rápida. Isso se deve a incrível narrativa do livro, que é feita pela perspectiva da amiga imaginária da protagonista. Zhang narra Quando Tudo Faz Sentido de forma bastante reflexiva e poética, uma escrita sensível perfeita para uma obra com temáticas tão delicadas.

8.8.18

Resenha: A Mulher Entre Nós - Greer Hendricks e Sarah Pekkanen


A HISTÓRIA

Há um antes e um depois. Antes, Vanessa era a mulher de um bem-sucedido homem de negócios. Um homem bonito, carinhoso e gentil, que cuidava de todas as suas necessidades. Antes, Vanessa morava em uma casa gigantesca e não precisava trabalhar. Ela sonhava em ter um filho com seu marido perfeito, Richard. Mas depois, divorciada aos 37 anos, Vanessa está em pedaços. Morando com a tia idosa, ela não sabe como seguir em frente. Como superar tudo pelo que passou? Ainda mais sabendo que Richard a trocou por uma mulher mais nova e mais bonita do que ela?

Antes de conhecer Richard, Nellie era apenas uma jovem professora do jardim de infância. Ela achou que poderia deixar tudo para trás – sua cidade natal, sua mãe problemática, o incidente na faculdade que mudou sua vida. Contudo, algumas coisas não podem ser esquecidas e os velhos fantasmas continuam a persegui-la em Nova Iorque. Depois de Richard, entretanto, Nellie vê as coisas diferentes. Vê um futuro ao lado de um cara gentil, que quer cuidar de todos os seus problemas. Vê uma família. Prestes a se casar, Nellie começa a receber ligações estranhas e sentir que alguém está a seguindo. Será que alguém lhe quer fazer mal?