2.2.21

Resenha: Tempo de Reacender Estrelas - Virginie Grimaldi


A HISTÓRIA

Aos 37 anos, Anna viu sua vida desmoronar muitas vezes, como quando sua mãe faleceu, ou quando seu marido a deixou, e agora que está se afundando em dívidas e perdeu seu emprego em um restaurante.

Mas o pior foi descobrir que suas filhas estão indo por um caminho sombrio também. Chloé tem só 17, mas quer abandonar a escola e se entrega para qualquer homem que lhe dê migalhas de amor. Já Lily, aos 12, está sofrendo bulling na escola e seu melhores amigos são um diário e um ratinho.

Então, incentivada pela avó, Anna comete uma loucura. Pega emprestado o motorhome dos pais e decide levar as meninas em uma viagem até a Escandinávia, para verem a Aurora Boreal. Chloé e Lily odeiam a ideia, mas são obrigadas a ir. Nos primeiros quilômetros as três percebem que não se conhecem mais e há muitos segredos e mágoas guardadas entre elas.

“Tudo passa, Naná querida. As raivas, as decepções, as preocupações, as alegrias, os cansaços. As únicas coisas que restam, no fim, estejam nesse mundo ou não, são as pessoas que amamos.” pág. 140

Contudo, Anna está determinada a redescobrir quem suas filhas são. Só quando o caminho das três se cruza com um grupo de pessoas também viajando de motorhome, Anna percebe igualmente que deve redescobrir a si mesma.


A NARRATIVA

Este é o primeiro livro que leio da francesa Virginie Grimaldi e não sabia bem o que esperar. As primeiras páginas foram estranhas, com os capítulos minúsculos e a mudança constante de perspectiva. O livro é contado em primeira pessoa por Anna, em uma narração comum, mas também por trechos do blog pessoal de Chloé e o diário de Lily.

Contudo, a forma com que a autora agregou a personalidade das protagonistas em sua escrita me conquistou. Anna é mais pragmática, misturando lembranças com reflexões maduras sobre a vida e o tempo. Já para Chloé, sua narrativa sarcástica exagera nos acontecimentos, nos dando uma visão jovem, divertida e até meio absurda de tudo. Igualmente engraçada, a jovem Lily é também a mais singela, com um olhar ao mesmo tempo inocente e honesto sobre o mundo e as pessoas ao seu redor.

Depois de ter me acostumado com a narrativa da autora, que traz poucas descrições, diálogos rápidos e divertidos, além de muitas pitadas de ironia e algumas de mistério, a leitura se tornou mais rápida. Além disso, Tempo de Reacender Estrelas também é uma obra emocionante. Ao falar dos conflitos e belezas das relações entre mães, filhas e irmãs, o livro me fez chorar em vários momentos, mas no final me deixou com o coração quentinho.


A TRAMA

A história de Tempo de Reacender Estrelas é ao mesmo tempo absurda e comum. Por um lado, encontramos cenários lindíssimos e desafios inesperados com as protagonistas viajando em um motorhome pela Europa para ver a aurora boreal. Os perrengues de estrada são hilários e movimentam a trama na medida certa para trabalhar seus verdadeiros conflitos.

Afinal, esse é um livro sobre família, preconceito, mudanças, mulheres e meninas. É sobre buscar, reencontrar e aceitar o amor nas mais diversas formas e idades. Qualquer um vai se identificar com as brigas bobas das irmãs, ou mesmo a relação de ódio e amor com a mãe, assim como o amor incondicional e cheio de cobranças da matriarca.

A história de Tempo de Reacender Estrelas deu cada guinada inesperada que algumas me deixaram sem ar. O final foi completamente surpreendente e deu sentido para a trama. Uma comédia que nos faz chorar também, as aventuras de viagem e de família das protagonistas são apaixonantes.

OS PERSONAGENS

Um dos maiores pontos positivos são as protagonistas de Tempo de Reacender Estrelas. Elas são humanas, com defeitos e ações erradas e impensadas. Mas também são meninas e mulheres apaixonadas pela vida, cheias de coragem e amor para dar. Gostei de como a autora mostrou que cada fase tem seu dilema, mas algo em comum: seja aos 12, aos 17 ou aos 37, filhas e mãe buscam ser aceitas e amadas umas pelas outras, tentam encontrar seu lugar no mundo e uma maneira de lidar com todas as pressões da existência humana.

Anna, Chloé e Lily crescem bastante ao longo da trama, em direções parecidas, apesar de terem personalidades completamente diferentes. Anna é marcada por uma vida difícil e ataques de pânico, mas uma mãe dedicada que não tem medo de se doar aos outros. Já Chloé, com só 17 anos, pensa demais em si mesma e é desesperada por atenção, mas também leal e gentil com quem merece.

Lily foi minha personagem favorita, com quem mais me identifiquei. Cheia de manias e sem papas na língua, ela ama mais os animais que as pessoas, mas consegue ver beleza nelas onde os outros não veem. Foi incrível vê-la se aproximar de Noah, um garoto autista que acaba conhecendo na viagem. De fato, os personagens secundários de Tempo de Reacender Estrelas são igualmente cativantes e únicos, fiquei curiosa para ler um livro sobre cada um deles.


A EDIÇÃO

A Gutenberg fez um excelente trabalho com Tempo de Reacender Estrelas. A tradução está perfeita e não percebi erro algum no texto. Gostei do tipo e tamanho da fonte, um pouco maior que de outras obras. As páginas são cor de creme e os capítulos marcados por uma estrelinha e o nome da narradora correspondente. Eu amo a capa de Tempo de Reacender Estrelas, é tão singela quanto o livro e traz os principais elementos: mãe, filhas, o motorhome e a aurora boreal.

VALE MESMO A PENA?

Tempo de Reacender Estrelas foi uma deliciosa surpresa. O começo é lento, com trocas rápidas de narrativas e os muitos conflitos internos das protagonistas. Mas, quando partem em uma viagem pelas belas paisagens europeias, nos divertindo com perrengues de estradas e brigas de família, o livro ganha vida. 

Essa é a história divertida e emocionante sobre mães e filhas, autodescoberta, libertação e amor. No fim, me apaixonei por Tempo de Reacender Estrelas e seus personagens extremamente humanos, mas engraçados e cativantes. Fiquei ansiosa demais para ler mais da autora!

QUOTE FAVORITO

“A viagem não mudou nada. Voltamos e as dívidas continuavam as mesmas, os problemas também, eu estava sem emprego, Lily tinha inimigos, Chloé tinha demônios. As coisas não mudaram. Nós, sim. Mesmo a dezessete mil quilômetros de distância, estaremos juntas. Mesmo quando elas tiverem 50 anos, estaremos juntas. Temos algo que nunca morrerá. Somos uma família.” pág. 276


Título: Tempo de Reacender Estrelas
Título original: Il est grand temps de rallumer les étoiles
Autora: PVirginie Grimaldi
Tradutor: Julia da Rosa Simões
Editora: Gutenberg
ISBN: 9786586553291
Ano: 2020
Páginas: 288
*O exemplar lido foi uma cortesia da editora
Encontre o livro: Skoob - Goodreads
Compre: Amazon

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)