30.12.20

Os 10 melhores livros de romance de 2020


Vamos finalmente nos despedir de 2020 e nunca teve um ano que precisamos tanto de romances para colocar alegria e esperança nas nossas vidas! Os livros foram mesmo uma das formas que encontrei de sobreviver esse ano e as histórias de amor, em especial, me ajudaram a ficar com a cabeça mais leve e o coração quentinho. Então, como podem imaginar, eu tenho um montão de recomendações incríveis para fazer! Sem mais delongas, conheça meus 10 romances favoritos de 2020!

Relembre:


Melhor romance nacional: Poderoso Destino

Poderoso Destino, da J. Marquesi, foi muito especial. É o primeiro romance de época que vejo com  um mocinho inglês que vem ao Brasil e vê as belezas do nosso país, mas também o horror e tristeza da escravatura. A autora claramente fez uma pesquisa extensa sobre a época e conseguiu retratar bem a realidade do país sem deixar o livro chato. Poderoso Destino ainda não decepciona com um casal muito quente e várias reviravoltas.

A história começa com o jovem Conde de Hawkstone e sua família sendo publicamente humilhados após perderem sua fortuna. A salvação do Conde vem na forma de Joaquim, seu primo português, e uma proposta de investimento no café brasileiro. Os negócios acabam o convocando ao Brasil e em um país tão diferente do seu, marcado pela riqueza dos Barões do café e a crueldade da escravidão, Hawk conhece uma mulher que mudará sua vida. Ela não fala a língua dele, que não sabe sua verdadeira identidade, mas eles se conectam muito além da atração física. Parece que o casal estava destinado a se encontrar, mas será que isso significa que terão um final feliz?



Melhor romance sobrenatural: saga Mara Dyer

A Saga Mara Dyer, de Michelle Hodkin foi uma das melhores surpresas do meu ano. Fiquei chocada do início ao fim com esse romance fofo que fala também sobre loucura, ciência e encontrar seu lugar no mundo. A série ainda tem um mocinho apaixonante e uma heroína que descobre uma força incrível ao longo da trama.

Tudo começa em A Desconstrução de Mara Dyer. Depois que invadiu um sanatório abandonado que desabou sobre ela e seus amigos, Mara ficou completamente louca. Ela mudou de cidade e escola, mas ainda vê os amigos mortos em todos os lugares e sente que é culpada por tudo. Mara se destaca desde o primeiro dia na nova escola. Ela chama atenção de Noah Shaw, o garoto mais popular e desejado do colégio. Ele é um sedutor, mas parece carregar seu próprio passado misterioso e sombrio. Para piorar, está obcecado com ela. Já Mara não tem cabeça para romance. Especialmente quando a pilha de corpos ao seu redor começa a aumentar e as memórias do acidente voltam quando ela menos espera.



Melhor romance jovem-adulto (YA): Graffiti Moon

Graffiti Moon, de Cath Crowley, é um romance arrebatador. Mais que uma história de amor adolescente, encontramos aqui um drama sobre primeiros amores e decepções, futuros incertos e medos que angustiam algumas pessoas tão jovens. Além disso, é um livro banhando em arte e que nos intriga com detalhes sobre graffiti e arte em vidro. Realista, a narrativa também é engraçada e rápida de ler.

A trama começa com Lucy, que só tem um desejo para sua última noite de ensino médio. Ela quer encontrar Sombra, o misterioso graffiteiro cujas obras colorem os muros da cidade. Já tudo o que Ed não quer é que saibam que ele é o Sombra. Desempregado, com o aluguel perto de vencer e ainda de luto por seu amigo e mentor, Ed está prestes a cometer um crime. Os caminhos de Lucy e Ed se cruzam na noite que é o começo do resto da vida dela e o fim das esperanças dele. Com seu mundo prestes a ruir, Ed aceita ajudar Lucy a encontrar o Sombra. Será que ela vai perceber que ele já está na frente dela?



Melhor romance LGBT+: Na Linha de Fogo

Na Linha de Fogo, de Lauren Gallagher, é um romance lésbico que faz o coração de qualquer um bater mais forte. Além da tensa trajetória das protagonistas contra a cultura de abuso e violência dentro de instituições militares, esse é um livro sobre a paixão inesperada entre duas mulheres que achavam que se odiavam. É divertido, fofo e educativo, todos precisam ler Na Linha de Fogo.

Kim Lockhoff é uma das protagonistas de Na Linha de Fogo. Ela dedicou sua juventude para sua carreira na Marinha e tudo está prestes a ir por água abaixo, já que todos acham que ela é uma vagabunda que dormiu com o chefe. A triste verdade é que Kim foi violentada por um oficial superior e agora seu estuprador está a assediando para que termine a gravidez resultante. Reese Marion sabe que ser soldado e policial não é fácil. Ela odeia mulheres como Kim, que usam de sua beleza e charme para seduzir seu caminho para o topo. Reese só não esperava descobrir que Kim não é nenhuma piranha e sim uma vítima com uma decisão difícil. Ela entente melhor do que ninguém o que é engolir um trauma por medo, assim, se oferece para ajudar Kim nessa jornada.



Melhor romance adulto (contemporâneo): Teto Para Dois

Eu já esperava gostar de Teto Para Dois, de Beth O'Leary e acabei me apaixonando. Essa é uma comédia romântica tipicamente inglesa e singela. A trama improvável e protagonistas únicos nos fazem rir, chorar e nos surpreende do início ao fim. Os mocinhos são encantadores, únicos e amadurecem bastante ao longo da trama, que consegue ainda tratar de assuntos bastante delicados, como relacionamentos abusivos.

Na história, Tiffy está desesperada para mudar da casa do ex-namorado. Trabalhando em uma editora pequena por um salário minúsculo, ela não pode pagar por um lugar só seu, por isso aceita um acordo inesperado. Tiffy subloca o apartamento de Leon pelas noites e finais de semana, já que ele, um enfermeiro de cuidados paliativos, trabalha todas as noites e só precisa do lugar durante as manhãs e tardes. Parece loucura dividir não só um apartamento, mas a cama com um estranho, mas o acordo parece melhor para Tiffy do que continuar na casa do ex. A princípio, eles usam os post-its para recados rápidos, sobre cuidados com a casa e comida, mas logo começam a compartilhar muito mais. Será o suficiente para mantê-los tão próximos?



O romance mais inesperado: Minha Queda Por Heróis

Minha Queda Por Heróis, de Susan Elizabeth Phillips, é um romance que satiriza os clichês dos livros de romance ao mesmo tempo em que entrega uma história apaixonante e mágica sobre segundas chances no amor. A autora tem uma narrativa muito divertida e leve, que agrega bem pitadas de mistério, ação e sensualidade. Ela ainda explora bem seu belo, gelado e romântico cenário: uma mansão antiga em uma ilha remota em pleno inverno.

Minha Queda Por Heróis começa com Annie, que não tem mais nada a não ser seus fantoches e terríveis memórias de Peregrine Island, para onde está voltando em busca de uma herança. A proximidade da mansão Harp House e do dono da casa, Theo, a assusta de verdade. Theo foi seu primeiro amor, sua primeira decepção e quase seu assassino. Eles viveram um verão de muita paixão escondida há mais de 20 anos, mas também de terror. Escondido na mansão mal-decorada, Theo é quase como os heróis dos livros favoritos de Annie. Ele é um escritor sombrio, rico, mal-humorado, rude e com um passado doloroso. Mas a proximidade deixa Annie loucamente atraída por ele mais uma vez, sentimento que Theo passa a corresponder.



Romance mais quente do ano: O Duque Que Eu Conquistei

O Duque Que Eu Conquistei, de Scarlett Peckham, me pegou de surpresa da melhor forma possível. Além dos clichês que amamos nos romances de época, a novidade do livro é um herói que curte BDSM e uma mocinha que não se intimida diante disso. A leitura é muito ágil e divertida, provocando a medida certa de risadas e suspiros com os desencontros dos protagonistas e momentos de paixão incendiários. Os protagonistas também são cativantes e amadurecem bastante ao longo da história, que mesmo previsível em alguns pontos, é intensa e emocionante.

Na trama, Archer, o duque de Westmead, é respeitado e visto como um homem frio e ordenado. Contudo, ele tem certa preferência que a alta sociedade jamais aprovaria. Na casa sem nome em Charlotte Street, Archer encontra o que precisa para se manter no controle o resto do tempo. Inclusive na sua busca por uma esposa que não se interesse por sua vida privada e que não parta seu coração. 

Só que quem chama atenção do duque é Poppy Cavendish. Ela não precisa de um homem e agora que herdou uma modesta casa, pode realizar seu sonho de ser independente e consolidar sua horticultura de plantas exóticas. Poppy tem a difícil missão de decorar um baile do duque, o que a coloca perigosamente perto do homem. A atração é inegável, mas será que Poppy arriscaria tudo por alguns momentos de prazer? E Archer conseguiria se contentar com apenas alguns encontros com a mulher mais fascinante que já conheceu?


Melhor romance de época: Como Salvar Um Herói

Eu tinha altas expectativas para Como Salvar Um Herói, de Suzanne Enoch e a leitura foi ainda mais gostosa do que eu esperava. A escrita é leve e flui com naturalidade. Pouco descritiva, a autora nos conquista com diálogos rápidos e afiados, além de engraçados. Como Salvar Um Herói  tem seus momentos de ação e drama épicos, dignos de um filme. A autora nos entregou protagonistas apaixonantes e perfeitos um para o outro. Robert, em especial, tem uma jornada de recuperação poderosa e emocionante de acompanhar.

Em Como Salvar Um Herói, Lucinda quer dar uma lição em um cavalheiro da alta sociedade e Lorde Geofrey é o alvo perfeito. Apesar de ser um belo herói de guerra, ele poderia aprender a ser mais gentil. Lucinda só não esperava que seu plano fosse descoberto. Robert Carroway fala muito pouco desde que voltou ferido da guerra. Contudo, um dia, ele quebra seu silêncio e revela que sabe das lições de Lucinda. 

Por três anos Robert viveu em um poço escuro, observando de longe a bela Lucinda, cuja calma e leveza é contagiante. Ao lado de Lucinda, Robert sente que pode voltar a viver novamente. Assim, ele propõe um acordo: se Lucinda ajudá-lo, ele a ajudará a dar suas lições a Geofrey. Tudo o que Lucinda não quer é sabotar o esforço de Robert de se reerguer, por isso aceita o acordo absurdo. Quando a amizade deles se torna algo a mais, Lucinda se pergunta se não é ela quem acabará em pedaços.


Nova série de romance favorita: Saga Lux

Eu honestamente jamais esperava me apaixonar por uma série protagonizada por aliens. Mas foi o que aconteceu com a Saga Lux, de Jennifer L. Armentrout. Li apenas os dois primeiros volumes e já estou viciada na série. A narrativa é rápida e a história muito gostosa de ler, com boas pitadas de mistério, ação e, claro, romance. O mocinho é arrogante, mas nos conquista logo de cara e, felizmente, a mocinha é uma garota forte que não se deixa intimidar. Mal posso esperar para ler o restante da série em 2021!

A série começa com Katy, que se muda para uma pequena cidade no meio do nada. Ela rapidamente faz amizade com Dee, sua vizinha da mesma idade. O que por algum motivo provoca a ira do lindo e arrogante irmão dela. Apesar de Katy admirar a lealdade de Daemon à irmã, não entende o motivo de tanto alarde. Ela e Dee se divertem muito juntas e não parecem tão diferentes assim... mas, na verdade, são de planetas completamente distintos. Quando Daemon salva Katy de um acidente congelando o tempo, Katy tem a certeza que ele e sua irmã são de uma raça completamente diferente. Dee e Daemon, com sua beleza estonteante, mentes brilhantes e poderes secretos são alienígenas! E agora que Katy sabe o segredo deles, ela se torna responsabilidade dos irmãos e um perigo para os dois.

Conheça a série:


Romance com a capa mais bonita: Trilogia Bevelstoke

E para finalizar, umas das capas mais bonitas de 2020, na minha humilde opinião. Eu amo edições mais minimalistas e foi justamente o que a da Trilogia Bevelstoke, de Julia Quinn, nos entregou. As ilustrações dessa série são tão singelas e combinam perfeitamente com as obras! Impossível não amar!

Conheça a série:

E esses foram os 10 melhores livros de romance que eu li em 2020! Agora me contem: já leram alguma das obras citadas? Ou ficaram com vontade de ler alguma das minhas recomendações? E quais histórias de amor que marcaram suas leituras esse ano? Não deixem de comentar aí embaixo com dicas dos seus livros favoritos de 2020!

Comente com o Facebook:

1 comentários:

  1. Amei as capas da arqueiro, acho que ilustrações combinam mais quando o assunto é romance de época. As editoras poderiam lançar mais assim.

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)