21.1.20

Resenha: O Café da Praia - Lucy Diamond


A HISTÓRIA

Evie Flynn é a ovelha negra da família, reputação que há muitos anos tenta mudar. Mesmo com um emprego temporário, mas “respeitável”, um namorado estável e planos de cursar pós-graduação, sua família ainda a vê como uma menina irresponsável e incapaz. Algo que fica claro quando a tia de Evie, Jo, morre, lhe deixando um café na beira de uma praia na Cornualha como herança.

Todo mundo acha que Evie deveria apenas vender o café e seguir em frente, o que se mostra mais difícil do que ela imaginava. Como ela poderia se livrar de um lugar que foi o trabalho de uma vida da sua tia favorita? Como Evie pode vender para qualquer um o local onde viveu suas memórias mais felizes, com sua pessoa favorita do mundo?

A tia de Evie foi a única que sempre acreditou em seu potencial, assim, a inglesa decide acreditar em si mesma. E quando percebe que administrar o café de longe não será suficiente, Evie deixa a cidade de Oxford e vai viver na Cornualha, no apartamento acima do café de sua tia. Trabalhar tão perto do mar seria ótimo se os empregados do café não fossem péssimos e se todo o vilarejo não odiasse Evie por razões que ela desconhece. 

O melhor seria desistir, mas, por sua tia, Evie vai dar o seu melhor no café da praia... e, além de sucesso, quem sabe ela não esbarre também no amor?


A SÉRIE

O Café da Praia é o primeiro volume de uma série de mesmo nome, da escritora inglesa Lucy Diamond. Na verdade, esse é um livro único, que pode ser lido de forma independente. Contudo, a autora publicou mais três contos (ainda não publicados no Brasil) que nos revelam que destinos a vida de Evie tomou depois do fim da obra original.

Em Christmas at the Beach Café, Evie está planejando o Natal perfeito com o namorado em seu café na praia, mas tudo pode ir a ruína com a chegada inesperada do irmão de seu namorado e de sua melhor amiga, Amber, que está com o coração partido. Já em Christmas Gifts at the Beach Café, Evie recebe a irmã (que está passando por um divórcio) e os sobrinhos pro Natal e não sabe como os ajudará a sobreviver ao feriado sem o namorado para ajudá-la. Por fim, em A Baby at the Beach Café, Evie está grávida e tenta descobrir como continuar gerenciando seu negócio dos sonhos com um filho a caminho.


A NARRATIVA

Lucy Diamond tem uma escrita divertida e cativante. Seus diálogos rápidos e bem-humorados deixam a narrativa, que é em primeira pessoa pela perspectiva da Evie, mais fluida. Contudo,  em alguns momentos a narração se arrasta um pouco com descrições lentas e divagações mentais em excesso da personagem. Eu gostei que a autora não teve medo de abusar dos flashbacks, o recurso foi muito bem usado de forma que nos ajudou a compreender o passado da protagonista nos momentos certos e deu um ar ainda mais íntimo a narrativa, como se estivéssemos lendo o diário de Evie.

A TRAMA

Algo que, em geral, faz os romances ingleses se destacarem é o fato da história de amor em si ser secundária. Não no sentido de que não é bem desenvolvida, mas sim de que não é o ponto central da trama, vai acontecendo aos poucos ao longo do livro, assim nos entregando um romance que soa mais realista.

O romance de O Café da Praia acontece mesmo só no último terço do livro, mas recebemos pitadas do mesmo desde o início. Considerando que a protagonista estava namorando no início da obra, tive medo de que a autora recorresse a um triângulo amoroso preguiçoso, mas felizmente ela desenvolve a trama de outro jeito.

O Café da Praia traz a história de recomeço, superação e autodescoberta de uma jovem considerada a “ovelha negra” da família simplesmente por não se encaixar no mesmo padrão que as irmãs. Evie é uma sonhadora e sua impulsividade é vista como irresponsabilidade, mas, ao longo da obra, ela cresce para aprender a se dedicar de verdade a um sonho sem se transformar em uma máquina.

Para a temática que se propõe, O Café da Praia desenvolve muito bem a história, colocando percalços no caminho de Evie o tempo todo, mas apenas para mostrar como ela é capaz de alcançar o sucesso da sua própria maneira. A trama traz muitas discussões entre Evie e seus funcionários e vizinhos, assim como confusões na cozinha e passeios na praia. Quase podemos sentir o cheiro de café e o ar salgado do litoral enquanto lemos a obra, que é leve e divertida do início ao fim.

A única coisa que me desagradou na trama foram dois momentos que envolvem Evie e homens assediadores e machistas. O Café da Praia tratou as cenas de assédio como certa superficialidade que me desagradou. Evie não se intimidou com o assédio que sofreu, mas o fato de ter esquecido o assunto logo após e tratado como algo rotineiro, que nem ao mesmo compartilha com os outros personagens ou denuncia, não foi bacana. Se não é para tratar assédio com a seriedade necessária, teria sido melhor se a autora nem tivesse o abordado.


OS PERSONAGENS

O Café da Praia traz personagens rasos, mas cativantes. Ou eles são bonzinhos, amigáveis e perfeitos, ou detestáveis, chatos e feios. É claro que os vemos só pelos olhos na narradora, que pode não ser confiável. Mesmo assim, gostaria que as figuras retratadas no livro não fossem tão “preto e branco”, que tivessem mais profundidade e humanidade.

Isso não deixa, entretanto, os personagens menos divertidos. Apesar do grande número de secundários, é fácil saber quem é quem e todos tem algum tipo de papel na história. Minha favorita foi Amber, a melhor amiga de Evie, uma moça sonhadora e amiga leal, que é quem mais incentiva a nossa protagonista. Jo é um personagem e tanto nas lembranças de Evie e teria sido legal se, em vez de falecer, ela só tivesse ficado doente ou algo assim para que Evie fosse trabalhar no café.

A nossa protagonista é dona de uma personalidade extrovertida e um coração mole. Mas, apesar de ajudar quem precisa, Evie também dá uma dura em quem passa dos limites e é hilário vê-la brigando com outros personagens. Toda a sua trajetória de superação e crescimento a tornam ainda mais cativante, assim como sua língua afiada e narrativa espirituosa.


A EDIÇÃO

A tradução de Vera Ribeiro é muito boa, assim como a diagramação simples. Não encontrei qualquer erro no texto e gostei da ilustração no início de cada capítulo. A capa de O Café da Praia combina perfeitamente com a obra. O azul utilizado nos remete bem ao mar, o que é importante para um livro que se passa no litoral e as ilustrações fofas combinam bem com a leveza dessa obra.

CONCLUSÕES FINAIS

O Café da Praia é um bom romance, que fala mais de recomeços, superação e autodescoberta do que de amor. A história da ovelha negra da família provando seu valor ao seguir o legado de sua tia favorita (e acabando por encontrar amor no meio do caminho) é muito gostosa de ler. A narrativa e personagens bem-humorados, mesmo que rasos, nos cativam logo de cara, tornando a leitura rápida e viciante. Eu gostei bastante de O Café da Praia, o recomendo para todos que estejam buscando uma obra para descansar a cabeça e fiquei com vontade de ler mais obras da autora no futuro.

Título: O Café da Praia
Título original: The Beach Café
Série: O Café da Praia
Volume: 1
Autora: Lucy Diamond
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788530600372
Ano: 2019
Páginas: 336
*O livro lido foi uma cortesia da Editora Arqueiro
Compre: Amazon

Comente com o Facebook:

1 comentários:

  1. Oi Ana, tudo bom?
    Eu amo livros do gênero e esse parece realmente ser uma ótima leitura descansar a cabeça, vou adicionar em minha lista de desejados!

    Beijos
    www.paginadaleitura.com

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)