17.5.19

Resenha: O Destino das Terras Altas - Hannah Howell


A HISTÓRIA

Nas Terras Altas (Highlands) da Escócia de 1430, erros do passado voltam para assombrar a família Murray. O clã de sir Balfour Murray está em guerra com o vizinho, o cruel e paranoico Beaton, há mais tempo que ele gostaria. Mas é quando o homem manda sequestrar Eric, meio-irmão de Balfour, que ele decide que é hora batalhar. Contudo, os guerreiros Murrays acabam sendo pegos em uma armadilha e Nigel, o outro irmão de Balfour, fica gravemente ferido.

Por sorte, ou provocação do destino, Balfour e seu exército acabam se encontrando, ou sendo encontrados por, uma bela e misteriosa curandeira. Maldie Kirkcaldy pode ser pequena, mas tem uma língua afiada e habilidades médicas impressionantes. Assim, apesar de dizer que é para ajudar seu irmão, Balfour decide levar Maldie para o seu castelo, sabendo muito bem é que está intensamente atraído por ela.

Maldie também se surpreende pela atração que sente pelo forte guerreiro. Entretanto, ela não tem tempo para se distrair com um romance, já que desde a morte de sua mãe vive apenas para cumprir uma promessa que fez a ela: matar Beaton, seu cruel pai. Maldie se acostumou a ter que se proteger sozinha, por isso não sabe se pode confiar nos Murrays e revelar quem é, então decide mentir sobre suas intenções.

Apesar de ficar desconfiado pelo o pouco que Maldie revela de si, Balfour decide seduzir a moça, mesmo sabendo que isso pode colocar seu clã, e seu coração, em risco. E Maldie está bem tentada a não resistir nem um pouco aos avanços de Balfour. Mas será que o casal conseguirá encontrar um final feliz com tantos segredos, erros passados de seus pais e uma guerra entre eles?

“Eu o amo mais do que seria sensato ou lúcido, desde o começo.”


A SÉRIE

O Destino das Terras Altas é o primeiro volume da série Os Murrays, que até o momento conta com nada mais nada menos que 22 volumes. Apesar de serem todos independentes, os livros da Hannah Howell estão ligados pelo parentesco dos protagonistas: um deles é sempre pertencente a nobre família escocesa Murray. As histórias se passam no final da Idade Média e a partir de 1430 (e os três irmãos Balfour, Nigel e Eric) vamos acompanhando as diversas gerações de Murrays se apaixonarem. Por serem romances de época situados nas Terras Altas da Escócia, todos os livros prometem, além de uma bela história de amor, momentos de ação e aventura, mocinhos guerreiros e mocinhas corajosas e a frente de seu tempo.

A LEITURA

Por anos, fiquei esperando que mais livros da Hannah Howell, continuações da série Wherlocke, fossem lançados no Brasil, o que ainda não aconteceu. Mas isso me fez ficar bem ansiosa quando descobrir que outra saga dela, Os Murrays, estava chegando nas nossas prateleiras. E, apesar das minhas altíssimas expectativas, O Destino das Terras Altas me agradou bastante. E para quem também leu a série Wherlocke, já adianto que essa saga traz uma abordagem completamente diferente, apesar de umas insinuações sobre a Maldie talvez ter uma habilidade de cura sobrenatural mostra que faz parte do estilo da autora trazer romances com pitadinhas de fantasia.

- Leia as resenhas e conheça os livros da série Wherlocke

O que primeiro me cativou em O Destino das Terras Altas foi a narrativa. Howell tem uma escrita bem única em comparação com outras autoras do gênero. Ela investe bastante em detalhes e momentos reflexivos. Acontecimentos e a movimentação física dos personagens são narrados com muita minúcia e grande parte do texto se dedica a atividade interna dos personagens, com seus pensamentos, suposições e sentimentos. Howell também entrega diálogos longos e teatrais, que não passam a sensação de serem reais, mas que são gostosos de ler, porque realmente nos fazem imaginar que estamos acompanhando uma comunicação de outra época, muito mais formal e sofisticada da que temos esses dias. Mas, todos esses aspectos, pelo menos para mim, apenas tornam a narrativa distinta e interessante. Apesar de muitos detalhes, a leitura é leve e conta com momentos equilibrados de humor, romance, drama e ação.


Quanto a trama, ela realmente demora a chegar ao ponto que mais interessa: o resgate de Eric. Mas, até esse momento acompanhamos o romance dos protagonistas, que vivem um clássico caso de amor a primeira vista, que apesar de não muito realista, é gostoso de ler sobre. O Destino das Terras Altas ainda tem sua cota de traições, perseguições, emboscadas, segredos do passado e batalhas além de beijos roubados e cenas de paixão. Ou seja, é uma história bastante completa e característica do gênero. O final feliz é garantido e mesmo vários momentos da trama sendo previsíveis, ela nos cativa e garante uma excelente experiência.

OS PERSONAGENS

Os personagens são, talvez, o ponto mais fraco de O Destino das Terras Altas. Eles são bastante estereotipados, sendo o clássico guerreiro gentil e a mocinha que de frágil tem só a aparência. Falta, ao meu ver, profundidade nos protagonistas, eles são muito perfeitinhos e basicamente não cometem erros (o universo parece sempre garantir que tudo saia como eles planejam, pelo menos no final). Contudo, isso não os torna menos cativantes.

“Não vou definhar esperando que ele venha me buscar. Não se preocupe com isso. Posso não ter tido uma boa mãe, mas se tem uma coisa que ela me ensinou foi a sobreviver. Isso é algo que sei fazer muito bem e nem mesmo Balfour Murray, aquele belo e corajoso cavaleiro, irá me derrotar. Posso demorar um pouco, mas vou tirar aquele homem da minha cabeça e do meu coração.”

Maldie e Balfour são um casal divertido e bastante aventureiros. Particularmente gostei de Maldie ser um tantinho atrevida e não deixar a autoridade de Balfour ou qualquer outra pessoa diminuí-la. E também gostei da mocinha não ser uma tolinha inocente que precisa ser salva. Pelo contrário, é Maldie quem sai ao resgate quando pode. Balfour é aquele guerreiro escocês impossível de não amar, cuja lealdade a família derrete qualquer coração.

Os personagens secundários também são cativantes, apesar de que senti faltas de mais mulheres interessantes entre eles. James, o oficial e confidente de Balfour, foi meio irritante com suas desconfianças quanto a Maldie, mas adorei os irmãos do mocinho, especialmente o fofo Eric.

A EDIÇÃO

Eu li a versão digital de O Destino das Terras Altas. A tradução está muito boa e não encontrei erro algum, ou trecho confuso na obra. Eu amei a capa do livro, ela é linda e perfeita para um romance que tem como cenário as belas e verdes terras altas da Escócia.

CONCLUSÕES FINAIS

O Destino das Terras Altas foi tudo o que eu esperava e um pouco mais. Talvez por ter sido originalmente lançado como um romance de banca, a obra traz tudo o que de melhor associamos ao gênero: uma história de amor cheia de paixão, mas também segredos do passado, sequestros, resgates, batalhas, grandes gestos de amor e mais. Para, quem, como eu, lê mais os romances de época vitorianos, O Destino das Terras Altas é uma boa mudança. Com um ar e narrativa mais teatral, a obra é muito cativante e divertida. Eu adorei a obra, que está mais que recomendada para quem tiver interesse em lê-la. Nem preciso dizer que estou bastante curiosa para ler os próximos volumes da (longa) saga Os Murrays.

QUOTES FAVORITOS

“(...) a mente é cheia de contradições. Ela nem sempre nos leva na direção certa, nem sempre nos conta a verdade. E nós mesmos acabamos permitindo que ela nos iluda, não importa quão astutos sejamos. Tenho certeza de que você já pensou em várias coisas que não eram nem sábias nem seguras e, pior, já agiu de acordo com esses pensamentos.”

“Ele tinha certeza de que a amava, e isso o aterrorizava. Sentia vontade de se declarar, mas tinha medo de revelar essa fraqueza. Rezava para que ela não fosse uma espiã, depois desejava que ela confessasse a traição. Desejava que ela fosse embora e morria de medo de que ela partisse.”

Título: O Destino das Terras Altas
Título original: Highland Destiny
Série: Os Murrays
Volume: 1
Autora: Hannah Howell
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580419368
Ano: 2019
Páginas: 272
Compre: Amazon
*O exemplar digital lido foi uma cortesia da editora Arqueiro

Leia as resenhas dos livros da série Wherlocke:

Comente com o Facebook:

1 comentários:

  1. Boa tarde Ana!
    Nunca li nenhum livro dela mas tenho muita vontade, sem contar que as capas são lindas demais!

    Beijos!
    www.paginadaleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)