8.1.19

Resenha: Amor Nas Highlands - Suzanne Enoch


A HISTÓRIA

Marjorie Forrester achava que dinheiro e um título fossem resolver todos os seus problemas. Mas, ser a irmã rica de um duque apenas significa que ela não precisa mais trabalhar para se sustentar. Seus sonhos de fazer parte da alta sociedade, por outro lado, continuam completamente frustrados. Agora que é uma lady, antigos conhecidos e amigos sequer olham na sua cara. Cansada de ser ignorada, Marjorie recebe a notícia do casamento do irmão com uma deliciosa surpresa. Mesmo ele afirmando que não é uma boa época para viajar para a Escócia, Marjorie decide surpreender o irmão aparecendo em seu casamento.

Contudo, os planos da garota dão completamente errado. Faltando pouco para chegar a propriedade do irmão, Marjorie é sequestrada pelos irmãos do visconde de Maxton. O próprio visconde, Graeme, se surpreende quando se vê cara a cara com ninguém menos que Marjorie Forrester, irmã do seu vizinho, o temido duque de Lattimer. Graeme não tem nada contra Lattimer, mas o líder de seu clã está em guerra com o ex-soldado e tudo o que Graeme não quer é se meter nesse conflito com sua propriedade a beira da falência e três irmãos mais novos para criar.

Assim, Graeme chega a um impasse. Se deixar Marjorie ir embora, ele será morto pelo líder do clã. Se entregá-la para o detestável chefe do clã e a garota se machucar, ele se tornará um verdadeiro inimigo do duque de Lattimer. A única opção, Graeme chega a conclusão, é se casar com a garota para evitar a ira de Lattimer e assim obrigá-lo a protegê-lo do líder do clã. Mas, Marjorie, que está longe de ser a flor da sociedade delicada e mimada que ele imaginava, não quer se casar com Graeme . Pelo contrário, Marjorie deixa claro que tudo o deseja é ficar longe dele.

Com esse impasse estabelecido, o visconde não tem o que fazer a não ser manter Marjorie em sua casa pelo máximo de tempo possível. Contudo, a proximidade da beldade acaba sendo perigosa quando Graeme começa a se apaixonar por ela. E Marjorie percebe que também está começando a desenvolver sentimentos pelo visconde quando imagina que talvez não seja tão ruim ficar ao lado dele para sempre. Mas, os dois precisarão muito mais do que amor para manter os irmãos de Graeme a salvo e evitar uma guerra entre seu clã e o irmão de Marjorie.


A SÉRIE

Amor Nas Highlands é o segundo livro da série Highlands (conhecida lá fora como No Ordinary Hero) da escritora norte-americana Suzanne Enoch. A saga de romances de época, até o momento, conta com três livros que se passam na Era Regencial britânica e nas belas paisagens das Highlands escocesas. Os livros são independentes, mas interligados. No primeiro volume, Herói Nas Highlands, conhecemos Gabriel, um soldado inglês que ganha um título de duque e se apaixona por Fiona, uma escocesa que administrava sua propriedade. No livro seguinte, Amor Nas Highlands, a irmã de Gabriel, Marjorie, é sequestrada por um inimigo do irmão, Graeme, o visconde de Maxton, por quem acaba se apaixonando. O terceiro volume, A Devil in Scotland, já foi lançado no exterior, mas ainda é inédito no Brasil.


A LEITURA: NARRATIVA E TRAMA

Eu estava bastante ansiosa para ler Amor Nas Highlands, tendo amado o primeiro livro da série. E não foi nenhuma surpresa eu ter devorado a obra em uma noite, apesar de que alguns detalhes da trama me incomodaram profundamente. A escrita de Suzanne Enoch foi igualmente cativante e fluída nesse segundo volume da série Highlands. Ela entregou mais uma vez diálogos rápidos e divertidos, e uma narrativa em terceira pessoa ágil, descritiva na medida certa.

Quanto a história, ela me causou sentimentos conflitantes. Por um lado, ri bastante das confusões malucas nas quais os personagens se metem. Impossível não se divertir com os irmãos mais novos de Graeme e as discussões entre o visconde e Marjorie. Além de boas doses de comédia, Amor Nas Highlands ainda apresenta pitadas de mistério, drama e ação, com direito a intrigas políticas, raptos, perseguições a cavalo, disfarces e muito mais. A trama do livro é bem amarrada e traz algumas surpresas, além de se conectar perfeitamente com os acontecimentos do volume anterior. A leitura é leve, divertida e rápida. Mas questionável em muitos quesitos.


OS PROTAGONISTAS, CRÍTICAS E RESSALVAS

Como feminista, toda essa coisa da protagonista ser sequestrada (o que é, inegavelmente, uma violência profunda) já me soou problemática desde a sinopse. Contudo, eu imaginava que, por ter sido os irmãos do Graeme que sequestraram Marjorie, que o mocinho a soltaria logo de cara e que o romance deles ia se desenvolver de outra forma. Contudo, Graeme insiste no sequestro, chegando a acorrentar a moça e depois tentando forçá-la a se casar com ele. E, mais irritante do que isso, foi a autora ter “justificado” as ações dele como uma forma de proteger os irmãos, sendo que ele poderia ter bolado mil outras maneiras de sair dessa situação.

Além de um sequestro e um casamento forçado, ou seja, violências maiores contra a protagonista feminina, servirem de motivo de aproximação do casal, Graeme ainda tem outras atitudes machistas, como beijar Marjorie a força, que são completamente desprezíveis por terem sido retratadas como atitudes românticas. E, como já comentei sobre outros livros com histórias semelhantes, usar um sequestro como forma de aproximar um casal acaba fazendo, para mim, que o relacionamento deles soe completamente forçado. Todo mundo já ouviu falar da Síndrome de Estocolmo, certo? E eu simplesmente não consigo imaginar uma mulher se apaixonando verdadeiramente por um homem que tirou a sua liberdade.

Tramas como a de Amor Nas Highlands perpetuam uma ideia bem distorcida de amor, colocando a mulher mais uma vez em uma posição de não ter voz no próprio destino e nos próprios sentimentos. Eu, que acredito e luto pela liberdade feminina, acho que histórias assim são inaceitáveis para o momento histórico em que vivemos. E elas acabam tirando grande parte do brilho que esse livro poderia ter. Amor Nas Highlands é uma obra rápida e gostosa, mas que vai contra a grande parte dos meus ideais. O que me deixou, ao final da leitura, muito decepcionada.


CONCLUSÕES FINAIS – VALE A PENA LER?

Depende de quem está lendo. Livros como Amor Nas Highlands são um lembrete de que a cultura está mudando, mas não tão rápido quanto gostaríamos. É triste que esse livro se utilize de uma violência profunda, como um sequestro, para unir um casal e ainda romantize atitudes machistas do protagonista. Perpetuando uma ideia tóxica e sexista de romance, Amor Nas Highlands é uma obra que não posso recomendar.

O livro é divertido? É assim. A leitura é rápida e engraçada, com pitadas ainda de ação e drama. Alguns personagens, como o irmão do mocinho e a protagonista feminina, são muito cativantes. Amor Nas Highlands não é um livro ruim, pelo contrário, eu diria que é perigosamente gostoso de ler. No meu ponto de vista, ele demanda uma leitura mais crítica; um leitor que saiba separar ficção e realidade e que entenda que a trama reproduz ideias retrógradas que vão contra muitos movimentos sociais atuais, como o feminismo. Mas essa é apenas a minha opinião e cabe a cada um escolher se o livro merece, ou não, a leitura.

A EDIÇÃO

Amor Nas Highlands segue o estilo da edição do livro anterior da série. A tradução está excelente e o texto sem qualquer tipo de erro. A diagramação simples, mas com uma fonte de bom tamanho e páginas cor de creme que deixam a leitura mais confortável. Eu sou apaixonada com as capas dessa série, todas são lindíssimas. Eu amei os tons de rosa e roxo usados na capa de Amor Nas Highlands. E, diferente do primeiro livro, achei que o vestido usado pela modelo, assim como a mesma, combinam perfeitamente com a Marjorie, que nos é descrita como uma moça londrina que gosta de usar roupas caras, delicadas e da moda.


Título: Amor Nas Highlands
Título original: My One True Highlander
Série: Highlands (No Ordinary Hero)
Volume: 2
Autora: Suzanne Enoch
Editora: Gutenberg
ISBN: 9788582355411
Ano: 2018
Páginas: 256
Compre: Amazon

Leia também:

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)