15.10.18

Resenha: Um Acordo e Nada Mais - Mary Balogh


A HISTÓRIA

Vincent ficou cego no campo de batalha muito jovem, mas sabe que é um indivíduo de sorte. Ele já superou grande parte das dificuldades oriundas da perda da visão e, além de contar com uma família amorosa e protetora, Vincent ainda herdou um título de visconde, uma mansão no campo e uma generosa fortuna. Contudo, o rapaz não está nada feliz. Aos 24 anos, sua mãe e irmãs estão o pressionando para se casar com alguma moça bem nascida escolhida por elas. Contudo, mais do que matrimônio e filhos, Vincent deseja ser mais livre na própria casa e não ser tratado como um inválido.

Assim, para escapar dos esforços casamenteiros da família, Vincent foge da própria casa com seu amigo e valete. Após algumas semanas de descanso, o homem começa a se sentir nostálgico e decide visitar a casa e vila onde cresceu, quando ainda era apenas o filho levado de um professor local. Vincent esperava passar despercebido, mas sua chegada na vila é notada e, mais uma vez, ele se vê cercado de atenção superprotetora e pessoas loucas para casá-lo. É em uma festa da vila que Vincent conhece Sophia Fry

Sophia vinha observando Vincent, escondida, desde a chegada do visconde. Além de sua beleza e modos gentis, a jovem se impressionou com o carinho que todos tem por ele. Filha de uma família disfuncional, há muitos anos Sophia se tornou órfã, destinada a morar de favor com parentes que preferem fingir que ela não existe. Apelidada de Ratinha, Sophia vive uma vida silenciosa e solitária. Ela sonha com um dia ter sua própria casinha no campo e poder viver da maneira que deseja. Assim, quando Sophia ajuda Vincent a escapar de uma armadilha casamenteira e é expulsa de casa, o visconde a pede em casamento. 

Vincent propõe um acordo: eles se casam, ficam por um ano juntos e depois seguem cada um seu caminho para a liberdade que tanto desejam. Ele livre da superproteção da família e Sophia sem ter que se preocupar com o dinheiro. A princípio, a jovem acha que o visconde enlouqueceu. Mas não vê outra alternativa a não ser se casar com ele. Contudo, quando rapidamente se tornam bons amigos, Vincent e Sophia percebem que, talvez, não queiram se separar em um ano.


A SÉRIE

Um Acordo e Nada Mais é o segundo dos sete volumes da série O Clube dos Sobreviventes. Apesar dos livros independentes, a saga de Mary Balogh é completamente interligada. Em cada uma das obras acompanhamos a história de amor de um dos indivíduos de um grupo de amigos, seis homens e uma mulher que, de alguma forma, sofreram algum tipo perda, ferimentos e traumas profundos durante as Guerras Napoleônicas. Com histórias intensas e cativantes, a série aborda temas como luto, recuperação, independência, segundas chances e a perseverança do amor. 

A LEITURA

Eu estava muito ansiosa para ler Um Acordo e Nada Mais, e não me decepcionei. Eu amei o primeiro livro da série, Uma Proposta e Nada Mais, assim como esse segundo volume. O início de Um Acordo e Nada Mais é um pouco lento, e nos apresenta a vida superprotegida de Vincent. Contudo, logo os mocinhos se encontram e a trama ganha o ritmo certo, com muitos momentos divertidos e dramáticos, além de pitadas suaves de romance. Os livros de Mary Balogh são bem distintos de grande parte de seus colegas de gênero. Apesar de ter pitadas de sensualidade, o romance dos protagonistas é sempre conduzido de forma mais lenta, com os mocinhos construindo uma amizade antes de tudo. 

A autora também não aposta em cenas de ação ou grandes reviravoltas, mas consegue deixar a trama movimentada com encontros e desencontros dos protagonistas, e seus dilemas pessoais, familiares e de classe social. Além do mais, como o volume anterior, Um Acordo e Nada Mais ainda nos delicia narrando belamente o modo de vida da época, com direito a muitas visitas para o chá, jantares elegantes, passeios pelo campo e até mesmo bailes dançantes. Fãs das obras de Austen e seus cenários bucólicos com certeza vão se apaixonar por Um Acordo e Nada Mais e suas localidades bonitas e bem descritas, como a enorme propriedade de Vincent, que tem até direito a um lago com uma ilha no meio.

Um Acordo e Nada Mais é contado em terceira pessoa, através de uma escrita fluída e descritiva na medida certa. A narrativa é cativante e provoca muitas emoções em quem está lendo. A autora também precisa ser elogiada com a sensibilidade e naturalidade que trata temas sensíveis, como traumas do passado e deficiências. É incrível ver um livro que traz um protagonista cego sem vitimizá-lo, mas mostrando suas dificuldades em se adaptar a um mundo que não está preparado para ele. Em resumo, Um Acordo e Nada Mais é um romance de época apaixonante.


OS PERSONAGENS

Talvez o único problema de Um Acordo e Nada Mais, que percebo ser uma constante nas obras da autora, é seu grande número de personagens secundários. Demorei a me acostumar com tantos nomes e rostos, nem todos marcantes. Contudo, quando nos acostumamos as figuras coadjuvantes do livro, nos apegamos a algumas delas, como Martin, o melhor amigo e valete de Vincent. Mas falando dos protagonistas, eles são muito fofos e cativantes. Como um casal, eles se encaixam perfeitamente, sendo parecidos e diferentes nas medidas corretas. O relacionamento dos dois se desenvolve devagar, com muitos momentos de amizade e companheirismo equilibrados com cenas de paixão.

Vincent não se destacou muito no primeiro livro, apesar de que eu já tinha uma boa impressão dele desde Uma Proposta e Nada Mais. Mas, no seu livro, o jovem se mostra completamente apaixonante. Inteligente, bem-humorado e muito gentil, ele está tentando construir a própria vida e conquistar sua liberdade sem magoar as pessoas ao seu redor. Vincent é encantador porque sabe os momentos de ser insistente, mas nunca é possessivo ou tenta mandar em Sophia. Desde o princípio ele vê o melhor nela e a ajuda a recuperar sua autoestima.

Também adorei que Vincent não luta contra sua deficiência em si, ele tem dificuldades, claro, mas já aceitou a cegueira e convive com ela o melhor possível, o que passa uma mensagem bonita e importante sobre auto aceitação. Já Sophia foi ajudada e até mesmo salva por Vincent, mas, mesmo com suas fragilidades, não é uma protagonista feminina fraca ou dependente. Apesar dos traumas do passado e baixa autoestima, ela tenta conquistar sua liberdade e paz por si só. Tímida, Sophia vai, ao longo de Um Acordo e Nada Mais, encontrando seu espaço e sua força. É fofo vê-la ajudando Vincent também, mas sem colocá-lo no centro de sua vida. Como disse, o casal é muito fofo e companheiro, um exemplo de um relacionamento saudável e apaixonante com o qual vários romances de época poderiam aprender!


A EDIÇÃO

No estilo da do livro anterior, a edição de Um Acordo e Nada Mais é muito boa. A diagramação é simples, mas a tradução está perfeita e o texto sem erros. A fonte é de um bom tamanho e as páginas amareladas deixam a leitura mais confortável. Eu estou apaixonada pela capa do livro. Apesar de aparentar ser simples, a capa de Um Acordo e Nada Mais, singela e fofa como a história. Mesmo a modelo estampada não combinando com a Sophia que imaginei, amei o tom de vermelho profundo usado na capa, assim como o desenho das flores no fundo.

CONCLUSÕES FINAIS

Um Acordo e Nada Mais é simplesmente perfeito. Mesmo sem grandes reviravoltas e momentos de ação, a trama é movimentada a sua maneira, com um casal fofo e inesperado lidando com seus dilemas pessoais e familiares. Entre jantares elegantes, bailes divertidos e até passeios sensuais ao lago, Um Acordo e Nada Mais é um romance de época singelo e delicioso, que fala também sobre superar traumas passados e ter esperança diante as dificuldades. O livro ainda conta por ser representativo e trazer um mocinho deficiente sem vitimizá-lo. Ou seja, só elogios a Um Acordo e Nada Mais, obra cativante e gostosa de ler que recomendo tanto para fãs de romance de época e da autora, quanto para quem quer começar a devorar o gênero. Enfim, mais do que ansiosa para ler o próximo volume.

QUOTES FAVORITOS

“Não corroboraria a loucura juvenil permitindo que a luz dentro dele se extinguisse. Viveria sua vida. E a viveria plenamente. Faria algo dela e de si mesmo. Não se renderia a depressão ou ao desespero. Por Deus, não se renderia.” pág. 17


Título: Um Acordo e Nada Mais
Título original: The Arrangement
Série: O Clube dos Sobreviventes
Volume: 2
Autora: Mary Balogh
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580418798
Ano: 2018
Páginas: 304
Compre: Amazon - Submarino

Conheça outra série da autora:

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)