12.4.18

Resenha: Um Beijo à Meia-Noite - Eloisa James


A HISTÓRIA

Depois da morte da mãe, a vida de Kate jamais foi a mesma. Seu pai se casou com uma viúva fútil e megera, apenas para morrer poucos anos depois. Agora, enquanto a madrasta gasta toda a fortuna de Kate em vestidos e outras inutilidades, a mulher luta para impedir que a sua propriedade chegue a ruína e que todos passem fome. Logo, bailes da alta sociedade e casamento são coisas que não passam pela cabeça da jovem de 23 anos, até ela ser obrigada a se disfarçar da meia-irmã mais nova.

Victoria está noiva de um lorde e precisa se casar com urgência, mas a família do cara só vai aceitar o relacionamento após a benção do tio do rapaz, que é um príncipe estrangeiro. Mas, por causa de uma mordida de cachorro, Victoria não pode aparecer em público e, assim, Kate é obrigada a se disfarçar como ela e ir até o castelo do príncipe, para ser aprovada por ele.

Gabriel nasceu em berço de ouro, mas ser um príncipe tem suas desvantagens. Especialmente quando seu irmão mais velho o obriga a viver em um castelo velho em terras estrangeiras. Se não tivesse uma corte de parentes nobres, solteiros e pobres sobre sua responsabilidade, Gabriel estaria em países quentes escavando ruínas de civilizações antigas. Mas, ele não pode abandonar sua família à própria sorte e, para garantir o bem estar deles, ele aceitou se casar com uma princesa russa muito rica, que ele sequer conhece.

“Ela virou o rosto para o dele como uma criança que espera um beijo de boa-noite… Era tão natural… E os lábios dele abriram os de Kate.” pág. 140

Mas, tudo muda quando Gabriel conhece uma moça que diz ser Victoria, noiva de seu sobrinho (que é poucos anos mais novo que ele). Ele rapidamente percebe que a moça está fingindo ser outra pessoa, contudo, fica encantado por ela, que não hesita em esconder o quanto ele a desagrada. Kate odeia o príncipe bonito e mimado logo de cara. Mas, porque não consegue então apenas ignorar as provocações dele e se manter distante? Conforme vai percebendo que Gabriel esconde uma personalidade única debaixo de seus modos reais, Kate começa a se apaixonar por ele. E Gabriel, diante da bela, inteligente e curiosa Kate, ousa desejar em tê-la para si. Contudo, nada indica que esse amor proibido terá um final feliz.

A SÉRIE

Um Beijo à Meia-Noite é o primeiro dos cinco volumes da série Contos de Fadas, da Eloisa James. Como podem deduzir, essa saga de romances adaptam os famosos contos de fadas, com seus príncipes, princesas e bruxas, em romances de época. A editora decidiu publicar o segundo volume, Quando A Bela Domou A Fera, antes, para pegar carona na adaptação live-action da Disney do conto da Bela e a Fera. Contudo, a Arqueiro vai publicar toda a saga. As obras da série Contos de Fadas são releituras, respectivamente, dos contos da Cinderela, A Bela e a Fera, A Princesa e A Ervilha, O Patinho Feio e Rapunzel. As histórias não tem qualquer relação entre si, então os livros podem ser lidos de forma independente, até mesmo fora de ordem.

- Leia a resenha do 2º volume, Quando a Bela Domou a Fera


A LEITURA: TRAMA E NARRATIVA

Eu estava ansiosa para ler Um Beijo À Meia-Noite, já que adorei Quando A Bela Domou A Fera. E, apesar das minhas altas expectativas, o livro não decepcionou. A história já começa bastante divertida, fazendo um paralelo entre o conto original da Cinderela e essa releitura:

“A história começa com uma carruagem que nunca foi uma abóbora, embora parta em disparada à meia-noite; começa com uma madrinha sem varinha de condão, que perde de vista sua protegida; e começa com vários ratos que, secretamente, teriam adorado usar libres. É claro, que também há uma garota, embora ela não saiba dançar nem deseje se casar com um príncipe.” pág. 5

Eu gostei do modo como a autora adaptou o conto para um romance de época, transformando os ratos em cachorros, por exemplo. Contudo, não pude evitar comparações com Quando A Bela Domou A Fera, que trouxe muitos elementos novos e mais criativos para o conto original do que Um Beijo À Meia-Noite. Apesar da Eloisa James não ter trago muitas coisas surpreendentes ou inusitadas, a trama do livro consegue se tornar única. Com um grande número de momentos divertidos, é interessante acompanhar o dia a dia dentro de um castelo em festa, com muitos jantares, bailes e até piqueniques elegantes.

Um Beijo À Meia-Noite também tem excelentes cenas de beijos roubados, encontros secretos e danças no jardim que deixam a história bastante romântica, com um toque de fantasia e magia típica dos contos de fadas bem maior do que o livro anterior. A autora, novamente, me conquistou com uma narrativa fluída e bem-humorada. Os protagonistas trocam diálogos intensos, divertidos e que nos deixam vidrados na história. Eu gostei que, em Um Beijo À Meia-Noite, o casal demora muito a se envolver fisicamente, o que deixa a história mais leve e romântica. Eloisa James também conseguiu trazer algumas reviravoltas interessantes para a trama. Por um momento até duvidei que a história teria um final feliz, o que é bom, já que prova que o livro não é tão previsível assim.

OS PERSONAGENS

Apesar de boas trama e narrativa, o grande destaque de Um Beijo À Meia-Noite são seus personagens. Tanto protagonistas quanto secundários têm personalidades cativantes e divertidas. Começando pela Kate, que é uma mocinha inteligente e perspicaz, que não deixa nem mesmo um príncipe intimidá-la. Logo me cativei a ela, que é dessas mocinhas práticas e não muito dramáticas, além de bastante divertida. Fiquei feliz que, ao longo da história, Kate consegue aumentar sua autoestima e cria coragem para tomar controle da própria vida.

Diferente de Kate, o mocinho não me conquistou 100%. Depois do maravilhoso Piers de Quando A Bela Domou A Fera, achei Gabriel perfeitinho demais. Ele é lindo, inteligente e honrado, o que o fez soar muito irreal. Mas, como Um Beijo À Meia-Noite é uma adaptação de um conto de fadas, é compreensível que o herói seja assim. O que também não o deixa menos apaixonante, claro. Eu gostei que a autora deixou-o menos clichê ao lhe dar uma paixão: arqueologia. As conversas de Gabriel e Kate sobre escavações e relíquias antigas são bem interessantes. Sem falar que a arqueologia dá um toque diferenciado ao “felizes para sempre” do casal.

“- Apaixonada - repetiu lady Wrothe, num tom sombrio. - Pelo amor de Deus, nunca se apaixone antes de se casar. É complicado demais e as consequências são terríveis.” pág. 78

Quanto aos personagens secundários, amei a madrinha de Kate, lady Wrothe, ou Henry para os mais íntimos. Ela é uma mulher bem resolvida, inteligente e cheia de conselhos divertidos e práticos. Outro queridinho foi Wick, mordomo do castelo e meio-irmão de Gabriel. Eu adoraria que ele ganhasse uma história própria, já que seu jeito honrado, mas bem-humorado, é apaixonante.Também amei os cachorrinhos de Victoria, os três pestinhas de quatro pratas rendem cenas hilárias.


A EDIÇÃO

A tradução de Um Beijo À Meia-Noite é excelente, o texto não tem qualquer tipo de erro ou trecho confuso. A diagramação é simples, mas o único detalhe (um sapatinho no início dos capítulos) combina com o livro. As palavras são de bons tamanho e tipo de fonte. As páginas amareladas ajudam a deixar a leitura mais confortável. Eu gosto bastante da capa de Um Beijo À Meia-Noite, inclusive, acho-a mais bonita do que a de Quando A Bela Domou A Fera. O sapatinho de cristal é essencial, já que o livro é uma releitura do conto da Cinderela. E os tons de azul usados no fundo são bonitos, e ainda nos remetem ao vestido clássico da princesa (dos filmes da Disney).

CONCLUSÕES FINAIS

Acho que a maioria das pessoas que, como eu, leu Quando A Bela Domou A Fera primeiro, vai achar Um Beijo À Meia-Noite um pouco sem graça em comparação. O livro não consegue trazer muitos elementos novos ao conto da Cinderela, apesar de que é bem sucedido ao transformar uma história de contos de fadas medieval em um romance de época regencial. A história é divertida, tem uma boa narrativa e uma trama com algumas reviravoltas. Diante um final feliz quase impossível, Um Beijo À Meia-Noite constrói um romance fofo e engraçado entre um príncipe que não gosta da vida real e uma mocinha desafortunada que não quer ser salva por ninguém. O livro ainda traz personagens secundários cheios de personalidade, tornando-se uma leitura apaixonante e bastante gostosa, mesmo não tendo superado o volume que li antes. Um Beijo À Meia-Noite, como toda a série Contos de Fadas da Eloisa James, até o momento, estão mais que recomendados para todos que gostam de romances de época, assim como releituras e adaptação de contos de fadas.

QUOTES FAVORITOS

“- Eu odeio o amor - disse Kate, com convicção.
- Pois eu não odeio. Porque é melhor viver uma paixão, Kate, conhecer um homem e amá-lo, mesmo que ele não possa ser seu, do que nunca amar.” pág. 276

“Ele falou em voz alta, pois não havia razão para ficar em silêncio:
- Estou… perdido. Ela me deixou perdido.
E segurou com força o sapatinho de cristal.” pág. 298


Título: Um Beijo à Meia-Noite
Título original: A Kiss at Midnight
Série: Contos de Fadas
Volume: 1
Autora: Eloisa James
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580417784
Ano: 2017
Páginas: 320
Compre: Amazon - Submarino

Comente com o Facebook:

1 comentários:

  1. Que livro interessante, já anotei na minha lista. Amei sua resenha!

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)