3.12.17

Resenha: A Maldição de Hollow - Nora Roberts


A HISTÓRIA

Caleb, Fox e Gage são amigos desde que podem se lembrar, eles até nasceram no mesmo dia. Mas, o terrível aniversário de 10 anos os uniu para sempre, quando um juramento de sangue liberou um poderoso e terrível ser sobrenatural, que assombra a cidade de Hawkins Hollow a cada 7 anos. Contudo, agora os amigos ganharam uma arma secreta contra o demônio: Quinn, Layla e Cybil. Enquanto os homens descendem dos guardiões mágicos que sempre lutaram contra esse ser do mal, as mulheres têm sua linhagem ligada ao próprio demônio, o que as confere certas habilidades que, somadas as de Caleb, Fox e Gage, serão o caminho para deter a coisa do mal de vez.

Com o aniversário de Caleb, Fox e Gage chegando, o demônio parece cada vez poderoso e disposto a machucar os seis amigos das formas mais brutais possíveis. Contudo, eles logo percebem que sua união enfraquece a coisa, especialmente após Caleb e Quinn se apaixonarem profundamente. A felicidade do casal acaba sendo uma arma contra o ser sobrenatural que os assombra. E uma esperança para Fox. O advogado do grupo, que é capaz de ler mentes, está atraído por Layla desde a primeira vez que a viu, sentimento que é recíproco. Contudo, de todo o grupo, Layla é a que mais resiste em aceitar a jornada insana que eles estão trilhando contra um demônio. Aceitar que ela descende de um ser maléfico, que tem poderes como os de Fox e que pode acabar morrendo no aniversário dele, é demais para a mulher.

Layla quer ser forte, que batalhar contra o demônio, mas não sente que tem forças para tal. E tudo o que menos precisa nesse momento é começar um relacionamento com um cara que está no epicentro da coisa toda. Contudo, a atração entre ela e Fox apenas cresce e a conexão entre eles se torna mais íntima quando Layla começa a trabalhar como sua secretária. Passar os dias ao lado de Fox se torna divertido, uma boa distração para o fato de que eles estão lutando contra um demônio. Contudo, Fox também se mostra desafiador: ele quer ensinar Layla a desenvolver sua habilidade de ler mentes, o que acaba voltando atenção do demônio para ela. Com um ser do mal brincando com a sua mente, será que Layla vai conseguir se entregar a essa arrebatadora paixão? E quando Fox mostrar que quer mais do que um caso tórrido e rápido, será que Layla deixará os sentimentos amorosos fluírem entre eles?


A SÉRIE

A Maldição de Hollow é o segundo livro da Trilogia A Sina dos Sete, de Nora Roberts. A saga conta a história de Caleb, Fox e Gage, três amigos que, sem saber, liberaram um poderoso e maléfico ser sobrenatural, que, a cada sete anos, traz o inferno para a pequena cidade de Hawkins Hollow, onde vivem. Contudo, as coisas começam a mudar quando Quinn, Layla e Cybil chegam a cidade - três mulheres que estão envolvidas com esse mistério mágico, já, de certa forma, são descendentes desse ser maligno. Apesar das probabilidades, paixão surge na vida desses seis personagens. Eles embarcam em uma jornada perigosa por respostas, para salvar a cidade e os homens de sua maldição, que, em meio a tanta morte e destruição, acabam encontrando também o amor. 

Leia a resenha dos outros volumes da série:
Irmãos de Sangue - Livro 1


A LEITURA

Eu estava animada para a leitura de A Maldição de Hollow. Eu gostei muito do primeiro livro da Trilogia A Sina dos Sete e queria ver como a batalha contra o demônio que assombra os seis amigos iria se desenrolar. E a leitura desse volume é fácil, mesmo que não tão fluída quanto a do livro anterior. Com uma boa narrativa, recheada de toques bem-humorados, mas também de tensão e sobrenatural, A Maldição de Hollow tem um ar sombrio e perigoso que se encaixa perfeitamente a história. Apesar de continuar bem o mistério envolvendo o passado sobrenatural dos antepassados dos personagens (o guardião mágico, sua mulher e o demônio que eles tentaram combater), A Maldição de Hollow deixa a desejar quanto ao romance.

A história de amor de Layla e Fox é bem morna. Eles parecem estar atraídos um pelo outro mais pela conveniência do que por outro motivo. A reluta de Layla em se envolver com Fox é compreensível, mas deixa o relacionamento deles arrastado e pouco crível. Eles demoram a se envolver, mas, quando finalmente ficam juntos, já são o amor da vida um do outro. A tensão entre o casal também não convence, apesar de acreditar que eles queriam dormir juntos, os desentendimentos, desavenças e discussões que criam aquele atrito gostoso entre o casal, necessário para qualquer romance de respeito, parecem forçados e repetitivos, como se seguissem o mesmo roteiro sempre: Layla se irrita com alguma coisa que Fox fez, admite que estava errada e eles ficam bem de novo.

Diferente do livro anterior, A Maldição de Hollow traz muitas cenas de envolvimento entre o casal, mas nem mesmo os beijos roubados e noites de paixão compensam o fato do casal em si não ter química a ponto de não conseguir me cativar. Mas, a leitura da história morna de Layla e Fox compensou pelas muitas respostas que foram reveladas nesse livro. Em A Maldição de Hollow, compreendemos melhor como todos os amigos estão relacionados com o demônio e uma esperança de derrotá-lo surge no final, quando os protagonistas percebem que, talvez, possam criar uma arma especial para matá-lo. O desfecho de A Maldição de Hollow foi bem acelerado e emocionante, com direito até a ritual mágico na floresta e, honestamente, foi o que me fez terminar a obra não tão decepcionada assim.


OS PERSONAGENS

No final, Layla e Fox foram um casal que não me cativou principalmente por causa dele. Eu gosto da Layla, de todos, ela parece ser a mais realista: é a única que admite que está com muito medo e que lutar contra o demônio não é tão tranquilo como os outros acham. Layla soa humana e real, afinal, qual de nós não ficaria relutante em se ver batalhando com um ser sobrenatural maligno? No início, a atitude da protagonista é meio irritante, obviamente, ninguém gosta do personagem pessimista do grupo, da pessoa que sempre fica apontando os defeitos do plano, mas eu acabei me simpatizei com Layla por isso. Ela confere um senso de normalidade a história, fazendo com que o lado sobrenatural da trama fique mais cativante. 

E, por isso, acabei sentindo que Layla é injustiçada na saga. A forma como os outros personagens a tratam, especialmente Fox, sempre questionando sua lealdade e força me desagradou. Layla, como todos os outros, está tentando encontrar respostas e sobreviver a um demônio maligno, mas os amigos a tratam como fraca só porque ela não finge que está bem com isso. Fox, ao contrário de Layla, está sempre tranquilo e contente, como se lutar contra um demônio não fosse nada demais. Mas, por um lado, isso faz parte de sua personalidade: Fox é calmo e gentil, o tipo de pessoa que não perde a paciência e a lógica facilmente. E até aí o mocinho seria interessante, contudo, sua mania de se meter na vida dos outros e tentar resolver os problemas delas é bem irritante. Sem falar que o protagonista ficou o tempo todo cercando a Layla, forçando-a a tomar decisões e a aceitar o que ele e os outros acham que é certo.

Apesar de gostar bastante da Layla, os meus preferidos de A Maldição de Hollow, como no livro anterior, são Cage e Cybil. Eu adoro as falas sarcásticas e jeito desafiador e rebelde dele, assim como a inteligência e teimosia dela. De todos, Cage e Cybil são os mais têm química. As faíscas voam entre os dois, que entre olhares e provocações hilárias, já me deixaram bem ansiosa pela história deles no próximo volume. Especialmente porque, em A Maldição de Hollow, acompanhamos os dois personagens dando um passo à frente, deixando um pouco sua rivalidade de lado para proteger os amigos.


A EDIÇÃO

A Maldição de Hollow tem uma tradução perfeita, a diagramação é simples, e o texto não traz qualquer erro. Eu gosto bastante da capa desse volume. Além de combinar com o restante da série, a casa em meio a uma floresta sombria condiz perfeitamente com o caráter sobrenatural e misterioso da história, assim como a trama em si: já que, durante a história, o grupo investiga a casa onde um de seus antepassados (a mulher do guardião mágico) morou.

CONCLUSÕES FINAIS

Como continuação de um mistério sobrenatural, A Maldição de Hollow foi uma boa leitura. O livro respondeu várias questões deixadas pelo volume anterior, nos envolvendo ainda mais na saga sombria e intrigante de seis amigos contra um demônio que assombra uma pequena cidade do anterior. Nesse quesito, a obra ainda me deixou ansiosa pelo próximo volume, já que insinuou que os protagonistas agora possuem uma arma para combater seu inimigo maligno. Já como romance, A Maldição de Hollow me decepcionou. O casal não tem química e seu relacionamento soa morno, quando não forçado. A protagonista humana e realista me cativou, mas foi sufocada pelo mocinho dominador, o que tornou o relacionamento deles intragável e pouco cativante. Contudo, A Maldição de Hollow já nos dá um gostinho da dinâmica do próximo casal da série, Cage e Cybil, o que também contribuiu para que eu continuasse curiosa pelo próximo e último livro: A Pedra Pagã.


QUOTE FAVORITO

Algumas pessoas poderiam achar um pouco estranho se levantar de manhã e ir trabalhar como de costume quando os planos noturnos incluíam rituais de sangue. Mas Fox achava isso um procedimento normal para ele e seus amigos.” Pág. 251

Título: A Maldição de Hollow
Título original: The Hollow
Série: Trilogia A Sina dos Sete
Volume: 2
Autora: Nora Roberts
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580417449
Ano: 2017
Páginas: 272
*Esse livro foi uma cortesia da Editora Arqueiro
Compre: Amazon - Submarino

Comente com o Facebook:

1 comentários:

  1. Confesso que ainda não decidi se irei ler essa trilogia, até agora nenhuma resenha me passou empolgação suficiente para despertar minha curiosidade. Mas enfim gostei de conferir suas impressões. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)