2.11.17

Resenha: O Beijo Traiçoeiro - Erin Beaty


A HISTÓRIA

No reino de Crescera, há décadas se perpetua o costume de casamentos feitos através de Casamenteiras. As mulheres da profissão são as responsáveis por escolherem pares compatíveis de homens e mulheres, e muitos até mesmo falam que, sem elas, o reino teria sucumbido a muito tempo. Sage Fowler, diferente da maioria das garotas da sua idade, não quer se casar. Ela não é uma dama e sabe que é rebelde e curiosa demais para a submissão do casamento. Mas é sua língua afiada que faz com que a Casamenteira da sua região, Darnessa Rodelle, a considere inapta para o casamento.

“- Ser casamenteira é basicamente um trabalho de interpretar pessoas, coletar informações e tentar entendê-las, e você tem talento para isso. Além do mais, não é uma rejeição de verdade se você não pretendia se casar. Pense nisso como um jogo que ganha quem tiver a pontuação mais baixa.” Pág. 40

Entretanto, Darnessa surpreende Sage quando lhe oferece um emprego. Apesar de não concordar com todo o sistema de casamentos arranjados, Sage aceita ser a assistente da mulher. Afinal, a garota está ansiosa para não depender mais da família do tio e para poder viver como bem desejar. E com o Concordium, evento que acontece a cada cinco anos na capital do reino, quando as famílias mais ricas e poderosas se unem para casar seus jovens, chegando, Sage também ganha a oportunidade de viajar pelo país. 


Junto com Darnessa, Sage acompanhará as jovens damas mais notáveis da região e ajudará a encontrar o marido perfeito para cada uma delas. Para isso, ela se disfarça de Lady Sagerra para se misturar entre as pretendentes e conhecê-las melhor. E todas as suas observações são anotadas em um grande livro, com informações minuciosas sobre todos ao seu redor, incluindo os soldados que escoltam a comitiva de damas até a capital. A guarda é comandada pelo capitão Alexander Quinn, que encara a toda coisa como uma punição. Mas, o pai de Quinn, o general mais famoso e poderoso do reino, o alerta para a verdadeira missão: descobrir se um dos lordes que receberão a comitiva durante a jornada está armando alguma coisa. 

Oficialmente, Crescera e Kimissara, um país ao sul, estão em paz. Mas, com a fome se alastrando por Kimissara, a tensão entre os dois países se acentua e o general acredita que um dos lordes do reino está ao lado dos kimissaros. Assim, Quinn conduz a comitiva com apreensão e com ajuda de seus amigos, Ash Carter e o príncipe Robert, preparado para enfrentar qualquer inimigo. Entretanto, sua desconfiança acaba caindo sobre uma certa dama que faz perguntas demais, assim como extensas anotações em um grande livro. Lady Sagerra, com seu jeito sedutor e inteligente, parece ser uma perfeita espiã. Assim, Ash Carter, disfarçado de cocheiro, se aproxima de Sage, e acaba simpatizando com a garota mais do que deveria. Sage também se impressiona com Ash, mas logo percebe que algo está acontecendo entre os soldados e desconfia que seu novo amigo não seja quem diz ser.


A SÉRIE

O Beijo Traiçoeiro é o primeiro livro da trilogia Traitor's de Erin Beaty. O segundo livro, intitulado The Traitor's Ruin, está previsto para 2018. A trilogia se passa em um mundo fictício, com toques da época medieval e vitoriana. Nesse universo, o caminho de Sage, uma jovem e rebelde aprendiz de casamenteira, e Alexander Quinn, um determinado capitão do exército, se cruzam em meio a uma disputa entre seu reino, Crescera, e Kimissara, um país inimigo vizinho.

“Ela sorriu quando seu olhar vagou para o mapa pendurado na parede oposta. Montanhas tocavam as nuvens. Oceanos que não tinham fim. Cidades que zumbiam feitos colmeais. Qualquer lugar. Tio William queria se livrar de Sage tanto quanto ela queria partir.” Pág. 10

A LEITURA

Eu não conhecia O Beijo Traiçoeiro até receber o livro, como cortesia da editora Seguinte. Contudo, fiquei curiosa para lê-lo assim que li a sinopse, apesar de que as minhas expectativas não eram tão altas. E talvez por isso que O Beijo Traiçoeiro tenha me conquistado tanto, a ponto de me fazer devorar todas as suas 433 páginas em um dia. Uma mistura de romance de época com fantasia medieval sobre espionagem e guerra, a história é extremamente cativante e rápida de ler, além de surpreendente. A trama é recheada de momentos divertidos e fofos, mas também de cenas de ação e a batalha. Sem falar que se passa em um universo fictício ricamente descrito e fascinante. 

Apesar de ter criado um mundo novo e complexo, a autora não se prende a narrações muitos extensas e detalhistas, nos permitindo conhecer o lugar aos poucos, conforme a trama se desenrola. A escrita de Erin Beaty é boa e rápida, sua narrativa em terceira pessoa flui bem e de forma que nos prende a leitura. Ao mesmo tempo em que nos envolve nos costumes e história do reino de Crescera, e seus recentes conflitos políticos, com direito a espionagem e planos de traição e vingança; O Beijo Traiçoeiro nos intriga com o romance inesperado entre dois jovens e nos cativa com as histórias pessoais de ambos.


OS PERSONAGENS

Eu me cativei com Sage logo de cara. Ela é apaixonada pelos livros, dona de uma língua afiada e sonha em ser livre. Sage não quer se casar, ela quer conhecer o mundo e trabalhar fazendo o que ama: passar o seu conhecimento para os outros. Contudo, a garota me surpreendeu pela sua maturidade: apesar de jovem, ela não age sem antes pensar e em vez de ficar dando birra para conseguir o que quer, Sage bola planos minuciosos de como chegar onde quer. Entretanto, a garota ainda assim amadurece ao longo da história. Em O Beijo Traiçoeiro, ela descobre o mundo ao seu redor e percebe que pode usar suas habilidades não só para ensinar aos outros, mas também para ajudar seu país em conflito.

“- Nós duas sabemos que você não pode ser domada, Sage.” Pág. 40

Já Quinn, desde o início, só pensa no bem do reino. Alex foi criado para ser um soldado e se dedica por inteiro ao dever. Por isso, não foi de surpreender que, durante a história, ele começasse a entender que não adianta nada dar a sua vida pelo reino se isso significa que nunca poder viver de verdade. Apesar de ser um comandante durão, Alex é um estrategista, e é interessante acompanhá-lo conseguir o que quer através da inteligência, e não pela força. Mas o que me conquistou mesmo foi a dedicação do personagem a seus soldados e amigos, assim como seu irmão mais novo, Charlie. 

Dos personagens secundários, Charlie foi um dos meus favoritos, graças a sua coragem e amor pelo irmão, assim como sua personalidade divertida. Outros que fizeram rir bastante foram Ash Carter e o príncipe Robert, assim como a srta. Darnessa Rodelle, a casamenteira muito perspicaz. Também adorei Clare, a jovem dama que se torna amiga de Sage no início da jornada.


A EDIÇÃO

A edição de O Beijo Traiçoeiro é boa. Eu adorei a capa do livro, ela é romântica e intrigante, e combina perfeitamente com a obra. A tradução está excelente e o texto sem qualquer erro. A diagramação é simples, sem qualquer detalhe a mais, mas o tamanho e tipo de fonte me agradaram, assim como as páginas amareladas. Minha única reclamação, na verdade, é quanto as margens muito largas. O texto está quase que enclausurado no meio das páginas, deixando espaços de quase dois dedos de largura encima e embaixo da folha, o que, para mim, é um desperdício de espaço e papel.

CONCLUSÕES FINAIS

Em meio a uma comitiva de jovens damas indo se casar na capital, o caminho de uma jovem casamenteira e um soldado se cruzam. Ela é inteligente, tem uma língua afiada e anota tudo o que vê em um livro. Ele é treinado para o perigo e está a procura de um traidor… e a jovem com o livro parece a perfeita espiã. Apesar de ser uma história de amor com direito a disfarces secretos, espionagem e caçada por um inimigo do reino, O Beijo Traiçoeiro é uma leitura leve e muito divertida.

Com muitos momentos inesperados de desencontros, brigas de intelecto, beijos apaixonados, missões secretas, bailes dançantes, viagem a cavalo, batalhas em torres, e mais, esse livro me cativou e encantou profundamente. Com um cenário fictício fantástico, uma mistura do mundo dos romances de época e das fantasias medievais, O Beijo Traiçoeiro ainda conta com uma protagonista feminina forte e inteligente e um mocinho misterioso e encantador. O livro de Erin Beaty me prendeu do início ao fim e me deixou sedenta pela continuação dessa história emocionante, divertida e apaixonante.


QUOTES FAVORITOS

- E é [manipulador]. Enquanto ferreiros dobram o ferro à vontade deles, casamenteiras dobram as pessoas à delas. - A srta. Rodelle deu um gole e encolheu os ombros. Não somos as únicas. Atores e contadores de histórias também manipulam seu público.” Pág. 40

Toda noite, ela escrevia naquele livro. Todo dia, ele via mais sinais de que as damas não a consideravam uma delas. Todos os instintos dele diziam o mesmo. Lady Sagerra era uma espiã.” Pág. 126

Título: O Beijo Traiçoeiro
Título original: The Traitor's Kiss
Série: trilogia Traitor's
Volume: 1
Autora: Erin Beaty
Editora: Seguinte
ISBN: 9788555340499
Ano: 2017
Páginas: 440
*Esse livro foi uma cortesia da Editora Seguinte
Compre: Amazon - Submarino

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Eu gostei muito da sua resenha! Me deixou intrigada.
    E me apaixonei por esse mapa <3 amo/sou

    Beijo
    www.badrain.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu tinha adorado essa capa e depois de ler sua resenha preciso desse livro em mãos, adoro histórias em ambientes medievais e me interessei muito por esse casal improvável.

    Parabéns pela resenha!
    beijos
    https://atrasadaparaocha.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)