2.8.17

Resenha: Esplendor da Honra - Julie Garwood


A HISTÓRIA

Na Inglaterra medieval, Lady Madelyne é uma jovem pronta para fugir. Após anos aguentando as crueldades do próprio irmão, o Barão de Louddon, Madelyne está cansada de ser maltratada e de ter que esconder sua raiva e dor. Assim, quando outro nobre é capturado por seu irmão, Madelyne percebe que é o seu momento para fugir. Contanto, antes de ir embora, ela resolve ajudar o prisioneiro de seu irmão a escapar também, afinal, a jovem não aguenta mais se fingir de dócil e passiva diante as ações sádicas de Louddon.

Ducan de Wexton, um barão também conhecido como o Lobo, está acostumado a ser temido por todos. Ele é conhecido por ser um guerreiro ardiloso e invencível. Contudo, Ducan agora procura por vingança. O Barão de Louddon machucou sua irmã profundamente e, agora, é a vez de Ducan fazê-lo sofrer. Para isso, ele se deixa capturar por Louddon com o objetivo de entrar em sua fortaleza e capturar seu bem mais precioso: a irmã do Barão. Contudo, ele se surpreende quando é libertado pela própria moça, que parece se preocupar genuinamente com o bem-estar do guerreiro. 


Quando Madelyne liberta o Barão de Wexton, ela não imaginava que, na verdade, ele tinha tudo sobre controle e que se entregara apenas para se vingar de Louddon. A jovem fica chocada quando os homens de Ducan tomam a fortaleza e derrotam todos os soldados de seu irmão. Contudo, Louddon provocou tudo aquilo e ela não consegue sentir pena do irmão, que sequer estava ali para lutar ao lado dos seus homens. A esperança de Madelyne é que Ducan a deixe fugir, como ela queria desde o início, mas o Barão de Wexton tem outros planos. Ele resolve sequestrar Madelyne, para fazer com Louddon sofra, e não acredita quando a garota afirma que, para o irmão, ela não tem valor algum.

Assim, Madelyne é obrigada a acompanhar Ducan e seu exército, mas ela se surpreende quando percebe que se sente mais segura com o Lobo do que com a própria família. E a jovem também vai se dando conta, rapidamente, que Ducan não é o guerreiro sanguinário que todos dizem. Apesar de ser um exímio lutador e um líder firme, o homem se mostra honrado e gentil, e jura proteger Madelyne enquanto ela estiver em sua companhia. Durante a viagem de volta para seu castelo, Ducan se dá conta de que sua prisioneira não é como as outras mulheres que ele conheceu. Por trás de suas expressões controladas, Madelyne esconde muita paixão e determinação, mas também segredos e um passado sombrio. O barão sabe que não deve se aproximar demais da irmã de seu inimigo, mas quem disse que ele consegue resistir? Por sua vez, Madelyne também está cada vez mais atraída por Ducan, entretanto, será que ela conseguirá deixar alguém ver o quanto ela é vulnerável por dentro?


A LEITURA

Confesso que peguei Esplendor da Honra sem grandes expectativas. Só depois de terminar a obra, e pesquisar mais sobre ela, que descobri que esse livro é considerado um clássico dos romances de época e que a autora, Julia Garwood, uma das mais amadas do gênero – e com razão. Mesmo sem esperar muita coisa, Esplendor da Honra me cativou logo nas primeiras páginas. Achei fascinante a história começar com a mocinha tentando salvar o nosso herói, o que foi apenas um gostinho para a grande e cativante força que Madelyne nos mostra ao longo do livro.

Julia Garwood tem uma excelente escrita. Detalhista na medida certa, a sua narração em terceira pessoa é carregada de um humor divertido, assim como diálogos ágeis, que deixam a leitura fluída e gostosa. Eu devorei Esplendor da Honra em poucas horas, a história se desenrola rapidamente e cativa com momentos de ação e tensão, com direito até a batalhas e disputas políticas, em meio ao romance. O livro também me conquistou por se passar na Inglaterra medieval e mostrar um pouco dos costumes e modo de vida da época. A trama de Esplendor da Honra é bem bolada e desenvolvida. Apesar de ter alguns clichês, o livro consegue ser movimentado e emocionante. O último terço do livro foi um pouco morno e previsível (por isso a obra não ganhou cinco estrelas), mas isso não tirou o brilho da história como um todo. 

Esplendor da Honra é um romance de época cativante e divertido, com alguns momentos surpreendentes, e muito romance. Entre tramas paralelas de conspiração, segredos, intrigas, vinganças, a obra traz uma história de amor fofa e emocionante. O relacionamento do casal é muito bem construído, há aquela atração entre eles desde o início, mas eles vão, aos poucos, desenvolvendo certo carinho e confiança um no outro. Esplendor da Honra ainda traz algumas cenas mais quentes de paixão entre o casal, mas o foco é realmente o amor que surge entre eles, o que nos proporciona um romance delicioso e apaixonante.


OS PERSONAGENS

Esplendor da Honra tem personagens cativantes e marcantes, cada um deles com papel na trama e personalidade própria. Contudo, o grande brilho do livro são os protagonistas. Eu adorei a Madelyne desde o início. Nos conhecemos a personagem quando ela se cansa de se fingir de dócil e resolve tomar as rédeas da própria vida. A coragem e força da Madelyne são cativantes, assim como sua inteligência e carinho com todos. E fiquei bastante satisfeita que, ao longo da história, a personagem descubra que todo mundo, inclusive ela, tem seu valor e importância. 

Ducan é um guerreiro poderoso e também um irmão protetor. Eu gostei que, durante Esplendor da Honra, ele aprenda que é possível se importar com alguém sem tentar controlar a vida dessa pessoa, como ele fazia com os irmãos e, no início, com Madelyne. Fora isso, o Barão de Wexton é um mocinho fofo e gentil, impossível não se cativar com ele! Esplendor da Honra também traz uma gama de personagens secundários interessantes e fiquei curiosa para conhecer melhor alguns deles. Os irmãos e irmãs de Ducan, por exemplo, mereciam cada um seu próprio livro! Eu queria ver especialmente o desenrolar do relacionamento de Adela (irmã de Ducan) e seu pretendido, o Barão Gerald. Acho que o casal simplesmente hilário e muito fofo.


A EDIÇÃO

Só tenho elogios para a edição de Esplendor da Honra. A tradução está perfeita e o texto não tem qualquer tipo de erro. O tamanho das letras poderia ser um pouco maior, mas o detalhe não chega a atrapalhar a leitura. O livro ainda conta com uma diagramação simples, sem muitos detalhes, mas páginas amareladas, o que sempre deixa a obra mais confortável de ler. Eu amo a capa de Esplendor da Honra. A capa é linda, e o cenário verde com um castelo ao fundo, assim como a mocinha ruiva, combinam perfeitamente com a história.


CONCLUSÕES FINAIS

Apesar do final meio morno e previsível, Esplendor da Honra foi uma excelente leitura. Eu devorei a obra em apenas algumas horas e ela foi o suficiente para me fazer apaixonar pela autora. Com uma narração ágil e divertida, o livro nos entrega uma história de amor bem-humorada e romântica, mas que tem também momentos de tensão e ação. Em meio a intrigas políticas, tramas de vingança, batalhas e sequestros, Esplendor da Honra também traz a jornada apaixonante de um casal fofo e seu amor proibido, mas arrebatador. Com uma mocinha forte, um mocinho guerreiro, e personagens secundários hilários, a obra se torna uma leitura deliciosa e cativante. Agora estou bem curiosa para ler mais livros da Julia Garwood!

Título: Esplendor da Honra
Título original: Honor's Splendour 
Autora: Julie Garwood
Editora: Universo dos Livros
ISBN: 9788550301372
Ano: 2017
Páginas: 416
Compre: Amazon - Submarino

Comente com o Facebook:

1 comentários:

  1. Olá Ana, tudo bem?


    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, tinha muita curiosidade em relação a ele e sua resenha me esclareceu bem, com certeza vai para a minha lista, ótima resenha....bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)