8.5.17

Resenha: Quando a Bela Domou a Fera - Eloisa James


A HISTÓRIA

Linnet Berry Thrynne é o tipo de garota cuja beleza encanta até mesmo príncipes. Mas, aparentemente, não o suficiente para fazê-los se casar com ela. Filha única de um visconde, a garota deixou-se levar pelo flerte e beijos do jovem príncipe inglês, que só depois de arruinar a reputação da garota, revelou que não poderia se casar com ela. Agora, além de ser conhecida como uma assanhada sem-vergonha (como a sua mãe fora), Linnet ainda precisa lidar com boatos de que está grávida do príncipe, sendo que nunca fez nada além de beijá-lo.

Contudo, é a tia da garota que acaba encontrando uma solução. Todos sabem que o duque de Windebank procura uma esposa para o filho, um conde excêntrico e supostamente deformado, apelidado de Fera, e que vive isolado no País de Gales. Dizem que Piers Yelverton, a Fera, não pode ter filhos, por isso, seu pai está mais que feliz em casá-lo com Linnet, que, supostamente, carrega um bebê real. Apesar da ideia de se casar com um completo estranho, ainda mais alegando carregar um filho que nunca existiu, ser completamente maluca, Linnet acaba aceitando o plano da tia, afinal, ela pode ser uma a condessa de um homem que jamais irá tocá-la, ou ir ser uma solteirona mal-falada no continente.


Piers Yelverton, conde de Marchant, sabe muito bem como lhe chamam pelas costas, contudo, sabe também que faz jus ao seu apelido de Fera. Um médico brilhante, mais inteligente que a maioria, Piers não se dá ao trabalho de ser educado com as pessoas e lhes poupar da verdade. Afinal, se ele está salvando vidas e fazendo descobertas importantes para a medicina, em seu castelo no País de Gales, o mínimo que o resto do mundo pode fazer é aceitar que ele grite o tanto que bem entender e insulte quem ele quiser. E se já não tem paciência para lidar com as pessoas, tudo se complica ainda mais quando o defeito na perna causa dores intensas, deixando Piers ainda mais arrogante, mal-educado e assustador.

Contudo, mesmo sem conhecê-lo, Linnet já sabe que não vai ser mais uma a temer a Fera. Com sua beleza, personalidade espirituosa, sorrisos sedutores e língua afiada, Linnet é capaz de colocar qualquer um em seu encanto, e ela está crente que, em duas semanas, fará Piers se apaixonar por ela. Contudo, a Fera parece imune a seus encantos. Piers, que nunca quis uma esposa, muito menos uma escolhida pelo seu pai, o homem que ele mais odeia, está disposto a não deixar Linnet, por mais bela que seja, se infiltrar no seu castelo e na sua vida. Contudo, é justamente isso que a garota faz. Quando Piers percebe, ela está por todos os cantos: encantando seus empregados, seus pacientes, seus amigos e até mesmo sua família. Mas, ele está decidido a não ceder, mesmo Linnet despertando um desejo profundo e quase animal dentro dele. E a garota também não fica imune a Piers. Linnet está cada vez mais fascinada com o rude e selvagem médico, será que, em vez de fazer a Fera se apaixonar por ela, a garota se apaixonará por ele, o único homem que jura que jamais irá amá-la?


A SÉRIE

Quando a Bela Domou a Fera é o segundo dos cinco volumes da série Contos de Fadas, da Eloisa James. Como podem deduzir, essa saga de romances independentes adaptam os famosos contos de fadas, com seus príncipes, princesas e bruxas, em romances de época. A editora decidiu publicar o segundo volume primeiro para pegar carona na adaptação live-action da Disney do conto da Bela e a Fera, contudo, a Arqueiro pretende sim publicar o resto da saga. As obras da série Contos de Fadas são releituras, respectivamente, dos contos da Cinderela, A Bela e a Fera, A Princesa e A Ervilha, O Patinho Feio e Rapunzel.

A LEITURA: QUANDO A BELA DOMOU A FERA É UMA BOA ADAPTAÇÃO?

Eu estava ansiosa para ler Quando a Bela Domou a Fera. Desde que comecei a ler romances de época, anos a trás, escuto falar das obras da Eloisa James, sempre bem elogiada entre os fãs do gênero. E, agora que seu primeiro livro foi publicado no Brasil, não resisti a conferir se a autora era tudo isso mesmo que falam. E, assim, com bastante animação, e certa desconfiança de a obra, talvez, ser superestimada, peguei Quando a Bela Domou a Fera para ler e descobri que sim, o livro é tudo isso mesmo e muito mais!

“No fundo, ela não tinha medo de perder sua reputação… Tinha medo de perder seu coração.” Pág. 213

O primeiro volume da série Contos de Fadas me conquistou em suas primeiras páginas, ao mostrar a nossa protagonista lidando com o fato que, mesmo sendo uma grande beldade, as injustiças sociais de seu tempo também se aplicavam a ela. E, assim, com críticas ao machismo bem diluídas no texto, Eloisa James me fez mergulhar em uma história divertida e apaixonante. A escrita da autora é excelente. Pouco detalhista, a narrativa em terceira pessoa é carregada de um humor irônico delicioso, com diálogos rápidos e inteligentes, verdadeiras disputas verbais entre os personagens, que me fizeram, sem brincadeira, dar boas e altas gargalhadas.


E a escrita leve, fluída e bem-humorada acabou deixando a história ainda mais gostosa. Apesar de trazer características clássicas do gênero (como protagonistas que não se gostam logo de cara, por exemplo), Quando a Bela Domou a Fera é quase que desprovido de clichês, e, logo, bastante surpreendente. A história desse livro é algo único, mas se procurasse uma definição, diria que Quando a Bela Domou a Fera é a junção das séries de TV House"e Downton Abbey, só que com muito mais comédia, claro. De fato, uma nota da autora, no final da obra, confirma: Piers foi inspirado muito mais no Doutor House do que na Fera em si. E isso não é algo ruim.

Particularmente, eu acredito que uma adaptação não é boa por ser fiel demais ao original e sim por trazer algo novo inspirado em uma história que já conhecemos e amamos. E Quando a Bela Domou a Fera faz justamente isso. Na verdade, essa obra está mais para uma inspiração do que adaptação do conto de fadas da Bela e da Fera. E eu achei isso extremamente positivo. A trama em si se prende muito pouco ao original. Antes de tudo, nada de talheres ou rosa mágicos, ou uma Fera amaldiçoada. Em vez disso, ganhamos um castelo isolado no País de Gales, transformado em um hospital comandado a mão de ferro por um médico brilhante e rude – um cenário e um personagem perfeitos para um bom romance de época

Trazer uma trama inspirada em um conto clássico, mas com detalhes e questões próprias, foi uma sacada brilhante da autora. Quando a Bela Domou a Fera traz uma história, ao mesmo tempo, que nos lembra do clássico infantil que tanto amamos, mas que proporciona um romance novo, inusitado e nem um pouco voltado para crianças. Com mais toques de realidade do que magia, Eloisa James também me cativou por mostrar o lado real e um pouco assustador da medicina do século 17/18, o que, com certeza, vai conquistar os fãs de séries médicas com House. Mas, os apaixonados por romance de época não precisam se preocupar: o livro também tem muitos momentos românticos, com beijos avassaladores e proibidos, assim como disputas de teimosia, com os protagonistas brigando como loucos – mas de uma forma hilária e gostosa.


OS PERSONAGENS

Contudo, mais que uma trama inusitada e uma narrativa divertida, Quando a Bela Domou a Fera nos encanta por seus personagens. O mais fiel de todos ao conto original, Piers é uma mistura perfeita da Fera e do Dr. House. Seu lado selvagem é bem explorado no livro: o médico xinga e grita com quem bem entende, sem medo de ferir o sentimento das pessoas. Contudo, por dentro, há um lado fofo: ele é inteligente, dedicado ao trabalho e a sua família. E, o melhor, Piers não sufoca, controla ou superestima a Linnet, como alguns mocinhos de outros romance de época. Pelo contrário, mesmo demorando para admitir que ama a garota e sendo mal-educado com ela em vários momentos, Piers incentiva Linnet a ser quem ela é de verdade, quando como, por exemplo, insiste em ensiná-la a nadar. Mas, o personagem não é perfeito e isso é uma coisa boa. Ao longo de Quando A Bela Domou A Fera, Piers aprende que ser verdadeiro é diferente de ser rude, assim como que ele merece ser feliz tanto quanto qualquer outra pessoa e que só será um monstro, uma Fera, se se permitir o ser.

Já a Linnet é bem diferente da Bela com a qual estamos acostumados. Ela é sim bonita e apaixonada por livros, mas também é bastante mimada e fútil. Mesmo sendo inteligente e gentil quando quer, o que, somado a língua ferina e determinação da personagem, a faz nos cativar profundamente, Linnet foi cegada pela própria beleza e a usa para conseguir o que quer, sendo que acha que merece tudo apenas por ser uma beldade. Contudo, a futilidade da personagem é trabalhada ao longo do livro e vê-la perceber que não é melhor que ninguém – inclusive Piers, mesmo ele sendo a Fera e ela a Bela – só porque é bonita, deixou a história ainda mais emocionante e única (já que sempre achei a Bela um pouquinho esnobe demais, em qualquer versão da história).

Além de personagens principais complexos, que evoluem ao longo da história, e cativantes, Quando A Bela Domou a Fera ainda conta com vários personagens secundários igualmente únicos e divertidos. Meus favoritos foram a mãe de Piers, uma mulher forte e sensual, e Gavan, um dos pacientes de Piers, um menino fofo aventureiro. Também adorei o primo de Piers, o também médico, mas, charmoso, Sébastian, e fiquei realmente triste em saber que ele não ganha um final feliz em outro livro da série ou da autora...


A EDIÇÃO

E edição de Quando a Bela Domou a Fera está muito boa. A tradução ficou excelente, e o texto sem qualquer tipo de erro. A diagramação tem poucos detalhes (como uma flor no início do capítulos), mas o tamanho e tipo da fonte são bons, e as páginas amareladas deixam a leitura ainda mais rápida. Depois de ler e me apaixonar por Quando a Bela Domou a Fera, achei que um livro tão incrível merecia uma capa mais elaborada. Contudo, apesar de simples, a capa atual não é feia e combina com a história, já que a rosa e o fundo amarelo sempre nos remete ao conto da Bela e a Fera.

CONCLUSÕES FINAIS

Inspirado no clássico conto da Bela e a Fera, mas também no seriado de TV House, o primeiro livro da série Contos de Fadas, da Eloisa James, é uma leitura rápida, deliciosa e apaixonante do início ao fim. Com uma trama inusitada, que mistura aventuras amorosas com os dramas de um hospital, e personagens completos e cativantes, Quando a Bela Domou a Fera é um romance de época único, divertido e apaixonante. Dei boas risadas e suspiros com esse livro, e me apaixonei não só pelos personagens, como pela autora. Simplesmente incrível, Quando a Bela Domou a Fera me deixou muito ansiosa pelos próximos volumes da série. 

QUOTE FAVORITO

Linnet era o tipo de garota que podia levar um cavalariço a feitos heroicos, ou um príncipe a atos menos intrépidos, como vencer uma trilha cheia de espinheiros apenas para lhe dar um beijo. Porém, nada disso mudara um fato importante: desde o dia anterior, ela não poderia mais ser considerada casável.” Pág. 8
Título: Quando a Bela Domou a Fera
Título original: When Beauty Tamed the Beast
Série: Contos de Fadas
Volume: 2
Autora: Eloisa James
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580416800
Ano: 2017
Páginas: 320
Compre: Amazon - Submarino

Comente com o Facebook:

1 comentários:

  1. Oi, Ana!!!

    Eu ADORO essa série!!! Li no EUA quando saiu e fiquei completamente encantada e morrendo porque minhas amigas não liam em inglês e não tinha como emprestar para elas! Hahahaha

    Mas esse é o segundo livro da série na verdade. O primeiro é o inspirado na Cinderella (que é incrivelmente inteligente também).

    Fiquei tão feliz que a Arqueiro está lançando essa série aqui agora que terei que reler tudo em português! Hahahaha

    Bjs!!!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)