10.10.16

Resenha: O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias - Douglas Adams


O GUIA DO MOCHILEIRO DAS GALÁXIAS - Livro 1

A HISTÓRIA: Arthur Dent é um humano azarado que, por acaso, descobre que a sua casa ia ser demolida. Contudo, seu dia fica ainda pior quando seu amigo Ford revela que, na verdade, é um alienígena e que toda a Terra será destruída dali alguns minutos. Ford e Arthur acabam conseguindo escapar da destruição, somente para se ver em perigo logo em seguida. Ford, que passara os últimos 15 anos disfarçado na Terra, fazendo pesquisas para atualizar o Guia do Mochileiro das Galáxias, o livro mais vendido do universo e o melhor guia de viagens interplanetárias, é quem vai ajudando Arthur a compreender a vida fora da Terra, que parece bem complexa e completamente maluca para Arthur. 

Novamente, eles são salvos da morte, dessa vez, pela Nave Coração de Ouro, que foi roubada por Zaphod Beeblebrox, o presidente da Galáxia, e sua companheira, Trilian, uma humana inteligente e bonita que, curiosamente, Arthur tentou conquistar em uma festa, meses antes. Assim, a bordo Nave Coração de Ouro e seus tripulantes, Arthur faz uma viagem maluca pelo universo, que o fará encarar as situações mais bizarras e os planetas mais remotos, mas também respostas chocantes sobre a origem da Terra, o Universo e Tudo Mais.

A LEITURA: Comecei esse primeiro livro da série bastante animada, contudo, como lembrava grande parte do início da trama, as primeiras páginas foram bem lentas. Novamente, fui cativada pela narrativa rápida e divertida de Adams, assim como pelo caráter inusitado, e levemente bizarro da história. Com muito bom humor, o autor nos conduz por uma história surpreendente e chocante, além de fascinante. Sem se prender a descrições de pessoas e lugares longas, e sem qualquer pretensão de fazer sentido, O Guia do Mochileiro das Galáxias foi uma leitura rápida e deliciosa. 

Me incomodou um pouco a superficialidade dos personagens e falta de diálogos mais longos. Contudo, eu não me lembrava de quase nada do desfecho do livro, o que me rendeu boas surpresas no final da leitura. Mas, o melhor dessa releitura foi perceber, novamente, como, em meio a uma trama singular, criada apenas para surpreender e divertir, o autor consegue nos passar boas reflexões e críticas duras. O sentido da vida é a grande questão da obra, mas Adams consegue abordar diversas coisas mais, como a hipocrisia humana; a nossa egocentricidade em achar que o universo gira ao nosso redor e que somos os seres mais inteligentes que existem; e até mesmo coisas como a falta de pensamento crítico nas corporações policiais e a fragilidade do poder político.



O RESTAURANTE DO FIM DO UNIVERSO - Livro 2

A HISTÓRIA: Arthur Dent já encarou as aventuras mais bizarras desde que deixou o planeta Terra, mas, agora, o único problema que ele e seus amigos enfrentam é: onde almoçar? Mas, como nada é simples para Arthur, Ford, Trilian, Zaphod e Marvin, coisas malucas acontecem, como a visita sobrenatural de um antepassado de Zaphod, e os tripulantes da nave Coração de Ouro acabam se separando. Quando finalmente se reencontram e chegam ao seu destino, o Restaurante no Fim do Universo, mais confusões seguem, afinal, Zaphod esconde segredos e uma missão: encontrar o ser que rege todo o universo.

A LEITURA: Comecei esse segundo volume da série Guia do Mochileiro das Galáxias bastante animada, contudo, logo no início, a leitura se tornou arrastada e um pouco confusa. Bem mais ousado que o primeiro volume, O Restaurante do Fim do Universo traz situações completamente inusitadas e bizarras, além de críticas ainda mais afiadas. Adams conseguiu continuar bem a trama do primeiro volume, mas também trouxe reviravoltas incríveis e respondeu perguntas que nem sabíamos que estavam lá. Contudo, demorou bastante para a história para “chegar lá”, grande parte do livro é completamente descartável, puramente “encheção de linguiça”, na minha opinião. 

O autor expandiu maravilhosamente bem o universo da saga e voltou sua atenção (crítica) para temáticas espirituais nesse volume, afinal, a história O Restaurante do Fim do Universo é basicamente a busca dos personagens pelo homem que rege o universo (ou seja, o Deus judaico-cristão). Mas Adams não critica Deus ou mesmo sua existência, e sim o modo como vemos Deus e como entendemos a nossa espiritualidade. O autor também surpreendente ao mostrar outro lado da sua teoria sobre a origem da Terra e da humanidade. Apesar de ter um final surpreendente e uma crítica incrível, a leitura de O Restaurante do Fim do Universo não foi tão boa quanto eu esperava. Como disse, o desenvolvimento da trama, em certo momentos, soou forçado ou desnecessário. Mas, eu ainda amo bastante a saga e continuei animada para ler os volumes seguintes!


A VIDA, O UNIVERSO E TUDO MAIS - Livro 3

A TRAMA: Anos após viver na Terra pré-histórica, separado dos amigos, Arthur Dent está relativamente contente com a sua vida simples. Mas, como sempre acontece mais cedo ou mais tarde, ele acaba sendo arrastado para mais uma aventura insana e perigosa pelo espaço. Dessa vez, Arthur é recrutado para salvar o universo de robôs malignos que odeiam qualquer coisa estrangeira. 

A LEITURA: Esse terceiro livro foi definitivamente o mais arrastado da série. Demorei quase um mês para terminá-lo e, em muitos momentos senti que o autor estava perdido na trama, narrando acontecimentos e histórias paralelas que nada tinham a acrescentar. A Vida, o Universo e Tudo Mais é uma trama sobre guerras, ódio, preconceito e o sentido da vida. Adams mostra bem como sempre tendemos a repudiar o que não conhecemos e como a falta de informação pode levar a guerras terríveis. 

Contudo, a crítica do livro não ficou clara durante grande parte do livro, que soou, no geral, como uma história completamente maluca e mal construída. Apesar de amar as situações mais bizarras e improváveis que o autor sempre consegue bolar, A Vida, o Universo e Tudo Mais teve muito desses momentos non-sense a ponto de me irritar. Também me desagradei com a superficialidade dos personagens e senti falta de mais momentos divertidos, como dos outros livros. Entretanto, o desfecho da obra é bem interessante, Adams consegue amarrar e dar sentido a quase todos os acontecimentos loucos do livro, e fez valer a pena a leitura demorada e quase que tediosa de A Vida, o Universo e Tudo Mais.


ATÉ MAIS, E OBRIGADA PELOS PEIXES - Livro 4

A HISTÓRIA: Arthur Dent vaga pelo universo há anos e, nos últimos tempos, sozinho. Depois de viver as mais loucas aventuras nas estrelas após o aniquilamento de seu planeta, voltar para a Terra provavelmente vai ser o mais bizarro. Arthur descobre que, afinal, nosso planetinha continua no mesmo lugar e que a única coisa que mudou foi o desaparecimento dos golfinhos no mesmo dia onde as pessoas tiveram uma alucinação estranha sobre naves no céu. Intrigado com a coisa toda, Arthur resolve descobrir o que diabos aconteceu com os golfinhos e porque a Terra não foi destruída como ele se lembra. Mas, antes disso, ele precisa descobrir porque se sente tão atraído por Fenchurch, uma garota estranha, tachada de louca, mas que, como Arthur, parece entender que há algo de muito estranho acontecendo no planeta Terra.

A LEITURA: O menos crítico da série e um pouco menos confuso que os dois anteriores, Até Mais, e Obrigada Pelos Peixes acabou sendo, ironicamente, o mais agradável de ler de toda a série. Esse quarto livro é bem interessante, já que brinca com a imaginação do leitor ao desconstruir um dos pontos principais da saga até o momento: a destruição da Terra. Até Mais, e Obrigada Pelos Peixes flui muito bem e, por ser bem curtinho, acabei com o livro em poucas horas. Eu gostei bastante que, nesse volume, encontramos um Arthur mais ativo e corajoso, e não um pateta que só seguia o fluxo, como nos outros livros. 

O maior protagonismo de Arthur foi gratificante, assim como seu romance com Fenchurch, afinal, nunca achei que ele e a Trilian realmente dariam alguma coisa. Os leitores mais exigentes vão sentir que Até Mais, e Obrigada Pelos Peixes é um pouco descartável e não vou mentir, falta uma trama mais sólida que justifique ler o livro. Mas, como vou falar mais embaixo, se você lê O Guia do Mochileiro esperando tramas amarradas, ou mesmo sentido, não está preparado para curtir a beleza da saga. Eu adorei Até Mais, e Obrigada Pelos Peixes, esse quarto volume é um descanso dos três primeiros e suas aventuras bizarras ao trazer um romance fofinho com pitadas de mistério e aventura.


PRATICAMENTE INOFENSIVA - Livro 5

A HISTÓRIA: Em um universo onde nunca seguiu Zaphod pelo espaço, Trilian é uma jornalista em busca por mais. Ela está frustrada, em busca de um emprego melhor e de novas aventuras. E é por isso que, quando estranhos alienígenas que aparentemente perderam a memória pedem sua ajuda, ela não hesita em se envolver nessa história maluca. Muito longe dali, no tempo e espaço, Arthur estava feliz, até que um acidente completamente aleatório e sem noção culminou no desaparecimento de Fenchurch. Novamente sozinho, Arthur vaga pelo universo tentando descobrir o sentido de sua existência. Ao mesmo tempo, em outro lugar, Ford está completamente desanimado quando percebe que o Guia exibe novamente os verbetes dele sobre a Terra, que, teoricamente, foi destruída. Assim, ele resolve ir até os escritórios do Guia e percebe que algo ainda mais estranho e maléfico está para acontecer – e que, claro, ele precisa descobrir o que é, o que acaba reunindo Ford, Arthur e Trilian novamente.

A LEITURA: O meu livro favorito da saga, sem dúvida, Praticamente Inofensiva foi um encerramento perfeito para O Guia do Mochileiro das Galáxias. O autor me intrigou profundamente ao abordar universos paralelos e viagens no tempo e me surpreendeu por entregar a história menos confusa e mais emocionante da série. Nesse último volume, o Adams consegue fechar algumas pontas soltas dos outros volumes e trazer os personagens com mais profundidade. Eu gostei especialmente do desenvolvimento da Trilian, que o autor mostra não ser a bobinha apaixonada que apenas seguia Zaphod e sim uma mulher muito inteligente e corajosa. Eu também gostei que Arthur tenha continuado com seu maior protagonismo mostrado nos outros livros e que tenha encontrado muitas das respostas as quais estava procurando. Ford continua completamente maluquinho, sempre metendo a si mesmo e os outros em confusão, por isso é impossível não amá-lo. Praticamente Inofensiva volta a nos fazer encarar a nossa falta de conhecimento sobre o universo e o tempo, ao mesmo tempo em que brinca com a nossa imaginação ao nos fazer pensar como seria legal viajar no tempo e espaço.


CONCLUSÕES FINAIS – POR QUÊ LER O GUIA DO MOCHILEIRO DAS GALÁXIAS, AFINAL?

Os livros são curtos, mas a narrativa e as tramas do autor sempre trazem uma pitada de confusão que deixam a leitura arrastada. Os personagens são superficiais e muitas vezes nos perguntamos o porque de estarmos lendo tudo aquilo. Mas essa é a beleza da Trilogia de Cinco do Douglas Adams. O autor prova que boa literatura não precisa seguir fórmulas, regras ou mesmo a sentido. O Guia do Mochileiro das Galáxias é a mostra de que o que faz os livros serem tão maravilhosos é a imaginação. A saga instiga a mente do leitor, nos faz imaginar tudo o que há de desconhecido no universo lá fora e que não precisamos seguir as leis da física, os modelos literários ou a lógica para viver aventuras. 

O Guia do Mochileiro das Galáxias ainda nos mostra que bom humor pode seguir lado a lado do pensamento crítico, que você pode entreter e ainda propagar mensagens bacanas. Os livros da saga trazem bons elementos de qualquer ficção científica: confusões em meio a estrelas, planetas e seres desconhecidos e bizarros, heróis improváveis, tecnologia brilhante – mas também consegue trazer boas reflexões sobre política, ideologia, espiritualidade, preconceito, ódio e amor, natureza e comportamento humano, o sentido da vida e muito mais. São livros que você precisa apenas curtir por suas bizarrices e se deixar surpreender. Os volumes são encantadores e brilhantes, a série é um clássico, façam um favor a si mesmos e leiam!


A EDIÇÃO

Essa edição única traz a vantagem de ter os cinco livros em um volume só. Eu adorei a capa, ela combina perfeitamente com a saga. Contudo, senti falta de uma diagramação com mais detalhes, afinal, essa é uma edição especial! Mas, o texto está sem erros e a tradução perfeita, então mesmo com o interior simples, a leitura foi tranquila.


QUOTES FAVORITOS E MAIS FOTOS DO LIVRO

O Guia do Mochileiro das Galáxias faz algumas afirmações a respeito das toalhas. Segundo ele, a toalha é um dos objetos mais úteis para um mochileiro interestelar. Em parte devido ao seu valor prático: (...) você pode umedecê-la e utilizá-la para lutar em um combate corpo a corpo; enrolá-la em torno da cabeça para proteger-se de emanações tóxicas (...); você pode agitar a toalha em situações de emergência para pedir socorro; e, naturalmente, pode usá-la para enxugar-se com ela se ainda estiver razoavelmente limpa. Porém o mais importante é o imenso valor psicológico da toalha. Por algum motivo, quando um estrito (isto é, um não-mochileiro) descobre que um mochileiro tem uma toalha, ele automaticamente conclui que ele tem também escova de dentes, esponja, sabonete, lata de biscoitos, (...), capa de chuva, traje espacial, etc., etc. (...) O que o estrito vai pensar é que, se um sujeito é capaz de rodar por toda a galáxia, acampar, pedir carona, lutar contra terríveis obstáculos, dar a volta por cima e ainda assim saber onde está a sua toalha, esse sujeito claramente merece respeito."

Resumindo: é um fato bem conhecido que todos os que querem governar as outras pessoas são, por isso mesmo, os menos indicados para isso. Resumindo o resumo: qualquer pessoa capaz de se tornar presidente não deveria, em hipótese alguma, ter permissão para exercer o cargo. Resumindo o resumo do resumo: as pessoas são um problema.” Pág. 241

“- Mas você não entende que as pessoas vivem ou morrem de acordo com suas palavras?
O homem que rege o Universo esperou o quanto pôde.
- Não tem nada a ver comigo – disse. - Não estou envolvido em nada que siga respeito a pessoas.” Pág. 245

- … pessoas xenófobas e maníacas. A ideia de que havia um Universo que não se enquadrava em sua visão de mundo, digamos assim. Não podiam lidar com ele. Então, de forma encantadora, agradável e inteligente – até mesmo esquisitona, já que você insiste, decidiram destruir o Universo.” Pág. 326




Título: O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias
Autor: Douglas Adams
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580415544
Ano: 2016
Páginas: 672

*Este livro foi uma cortesia da Editora
Compre:
Amazon - Submarino - Americanas

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)