14.5.15

Hoje eu não vou responder


Eu vejo as mensagens de vocês. As leio. Mas realmente não quero responder. Eu os amo. Mas não quero responder. Não hoje.

Eu vejo o seu status no Facebook. A mensagem é triste, estranha. Preocupo-me. Quero perguntar o que aconteceu. Consolá-lo. Mas não o faço. 

Recebo seus convites para sair. Estou com saudades de vocês. Quero abraçá-los e jogar conversa fora. Quero ouvir sobre a vida de vocês. Mas digo que não posso sair.

Você não responde imediatamente quanto te mando mensagem. Então por que devo respondê-lo agora? Vou deixá-lo esperando. Você quer algo de mim e eu talvez o queira dar. Mas não vou. Não hoje.

Vocês são meus melhores amigos e eu os amo.

Você não é meu amigo, apesar de achar que é. 

Meu celular toca e realmente não quero responder. Não hoje. Talvez amanhã ou semana que vem.

Eu sou carente, não vou mentir. Eu amo atenção, imploro por carinho – inconscientemente, claro, ou talvez não. Mas hoje, hoje não quero responder.

Eu sou completamente antissocial. Uma esquisitona social. Eu não nego. E na maioria do tempo luto contra isso. Coloco-me em conversas que não quero ter. Escuto quando não quero ouvir. Deixo que me abracem e Deus sabe o quanto odeio os braços de outra pessoa ao redor de mim. Mas isso é nos outros dias. Hoje? Hoje não quero responder.

Eu sei que esse mundo nos cria para precisar um dos outros. Eles dizem que é natural, que o ser humano é naturalmente um ser social, mas eu não acredito. Eu gosto de ter amigos. Não gosto tanto assim dos não-realmente-amigos.

Eu não amo as pessoas, mesmo que elas me fascinem. Os seres humanos são meio que assustadores para falar a verdade. Mas você se acostuma a eles. Até precisa deles de vez enquanto e tudo bem, não há nada de errado nisso. Como não há nada de errado em não responder, não hoje.

É errado que eu me divirta dançando sozinha? Que a companhia de um livro seja o suficiente? Que os artistas das minhas músicas favoritas e as versões deles que criei em minha cabeça me rendam toda a boa conversa que preciso? É errado que eu não responda, pelo menos hoje? É errado que eu goste da minha própria companhia, apenas? É errado que eu, não diamantes, não bebidas, não amigos, me faça feliz? Pelo menos hoje?

Talvez seja errado. Talvez seja. Mas hoje, apenas hoje, não vou responder. Essas mensagens no meu celular podem esperar até amanhã. Eu não, então vou ali passar um tempo de qualidade comigo mesma, ok? Até mais.
--

Obs.: O por que desse texto completamente aleatório e incoerente? Bem, eu escrevo coisas assim o tempo todo e faz tempo que quero dividi-las com o mundo e esse meu cantinho maravilho na internet pareceu-me o lugar perfeito. Espero que tenha gostado dessa minha "aleatoriedade" de hoje e se, eu tiver coragem, que sabe não compartilho mais algumas com vocês aqui do blog? O que acham da ideia? Não deixem de comentar! Beijinhos!

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Oi Ana!
    Adorei seu texto!!! Poste mais aqui no blog!
    Eu tenho uma preguiça enorme em responder mensagens, me identifiquei...

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sora!

      Fico muito feliz que tenha gostado e pode deixar que vou postar mais alguns! Quando eu olho aquele tanto de mensagem dá mesmo muita preguiça! rs

      Beijos!

      Excluir
  2. Adorei o seu texto.

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana, nossa que texto lindo e profundo. Eu adorei, você escreve tão bem, sério, entrei completamente na leitura. Faça mais sim, sempre que quiser, vou vir aqui sempre para ler!
    Beijos.
    http://www.garotadolivro.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ;D Fico muito feliz que tenha gostado! E pode deixar que vou postar mais alguns no futuro!

      Excluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)