8.9.14

Resenha: A namorada do meu amigo - Graciela Mayrink

Título: A namorada do meu amigo
Autora: Graciela Mayrink
Editora: Novo Conceito
Selo: Novas Páginas
ISBN: 978-85-8163-563-7
Ano: 2014
Páginas: 336
Classificação: 4/5 [muito bom]
Sinopse: Quando voltou das férias de verão, Cadu não imaginava a confusão em que a sua vida se transformaria. Era para ser um ano normal, mas ele entrou em uma enrascada e está correndo o risco de perder a amizade do cara mais legal do mundo. O que fazer quando a namorada do seu amigo vira uma obsessão para você? Os churrascos da turma da faculdade talvez ajudem a esquecer Juliana, e, se depender do esforço do divertido Caveira, não faltarão garotas gente boa para preencher o coração de Cadu. Mas não adianta forçar... Quem consegue mandar no coração? Alice, a irmã de Beto, é só mais uma das dores de cabeça que Cadu tem que enfrentar. A vida inventa cada cilada!


Cadu, Beto e Caveira sempre foram amigos inseparáveis, os três mosqueteiros. Quando crianças, Juju, vizinha de Cadu e loucamente apaixonada por ele, queria fazer parte do grupo, ser D'Artagnan, mas nunca conseguiu. Os meninos sempre a desprezaram, especialmente Cadu, já que ela sempre falava que eles iam se casar. Porém, um dia, Juju vai embora, muda de cidade para a felicidade dos meninos. 

Muitos anos depois, voltando das férias em Florianópolis, Cadu recebe duas notícias inesperadas: Juju voltou a morar na cidade e Beto, um galinha assumido, está namorando. E quando Cadu conhece a nova namorada do amigo é que vem surpresa ainda maior: Juju, aquela menininha chata que Cadu odiava transformou-se em uma linda garota que faz o coração dele disparar, mas também o de Beto, de quem ela é namorada. 

Cadu corrói-se de culpa por desejar a namorada do melhor amigo, mas o sentimento é muito maior do que ele. O garoto faz de tudo para esquecer Juju, mas será tão difícil quanto ele imaginara. Enquanto Cadu morre de amores por Juju, Alice faz o mesmo com ele. A irmã mais nova de Beto o quer desesperadamente e mesmo que ela seja a menina mais linda da cidade, Beto, Caveira e Cadu tem um pacto que coloca as irmãs dele muito longe das mãos dos amigos. Cadu está determinado a esquecer Juju e Alice a conquistá-lo, mas será que algum deles irá conseguir o que quer? Essa história promete ainda muita confusão, risadas, romance, mas será que terá um final feliz?
“Eu realmente queria me apaixonar por ela [Alice], porque gostar da Juliana estava me fazendo muito mal. Precisava esquecer a namorada do meu melhor amigo.” Pág. 170
A leitura de A namorada do meu amigo foi tudo o que prometia ser. Esperava uma história leve e divertida, não muito profunda, exatamente o que encontrei. A obra é perfeita para o público juvenil; Mayrink trata de temas como amizade, amor e sexo com uma trama simples, mas bem desenvolvida. A narrativa em primeira pessoa da autora é fácil de ler e fluída, além de cheia de pitadas de humor e ironia, caraterísticas bem próprias do narrador/protagonista. 

Cadu é um rapaz fofo e divertido, dedicado a tudo o que faz, e muito romântico: o sonho de toda garota. Mas, assim como faz com os outros personagens, Mayrink não criou um principezinho perfeito, Cadu é um amor de pessoa, mas também têm seus defeitos, seus desejos e pensamentos egoístas e escolhas erradas. Todos os personagens foram bem construídos e colocados na história. A maioria deles se encontra entre os 16 e 20 e poucos anos e a autora conseguiu retratar muito bem essa faixa etária: a impulsividade, o descompromisso com certas coisas e a tendência a acreditar que tudo é o fim do mundo. 

Algo que me incomodou muito na trama foi a posição dos personagens masculinos em relação às garotas. Eles fazem uma clara separação entre mulheres “de uma noite” e “para namorar”, como se as garotas com as quais eles ficam não fossem adequadas para um relacionamento. Essa posição extremamente machista realmente me irritou, afinal, se Cadu, Caveira e Beto podem sair e ficar com quem eles quiserem de forma totalmente descompromissada, por que as garotas não podiam fazer o mesmo sem receber esse ou aquele rótulo que vocês conhecem bem? Não sei se essa é uma posição dos personagens ou da autora, mas me incomodou e me preocupou a influência que isso pode exercer nos leitores mais jovens, que vão ler o livro e levar esse tipo de comportamento como correto.

Por outro lado, algo que me deixa extremamente feliz com os livros da Mayrink é que todos são bem brasileiros. Como em Até Eu Te Encontrar (resenhado aqui), A namorada do meu amigo se passa em Minas Gerais e valoriza bastante não só a paisagem local e brasileira, mas também os costumes do nosso povo. Como mineira, isso me alegra muito, já que consigo me conectar mais rapidamente com a história e os personagens. 

A namorada do meu amigo foi uma boa leitura, que cumpriu todas as minhas expectativas. Esse é o tipo de livro leve e simples, perfeito para descansar a mente, mas também para dar boas risadas. Gostei muito do desfecho da história, que fugiu do clichê dos romances e criou um “final feliz” bem à sua maneira e bem real. 

Quanto a edição, não há qualquer reclamação. A diagramação, apesar de simples, está perfeita. As páginas amareladas ajudam a deixar a leitura ainda mais rápida e o tipo e tamanho de fonte também estão ótimos. Eu amo a capa do livro, que é muito bonita e traduz bem o caráter fofo e juvenil da obra.

*Esse livro foi uma cortesia da Editora Novo Conceito


Leia também: 

Comente com o Facebook:

19 comentários:

  1. Oi, Ana!

    Eu estou paquerendo esse livro faz um tempo. Fiquei na dúvida se o compraria ou não porque não gostei muito da leitura de até eu te encontrar. Na verdade, eu nem terminei o livro. Parei bem no começo, pois a narrativa não me atraiu e não me prendeu. A sinopse deste me deixou muito afim de conheçe-lo. Vai entrar para minha lista de nacionais desejados.

    Bjos,
    Ane Bee

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, em comparação com Até Eu Te Encontrar, eu fico muito na dúvida entre os dois, gostei de ambos. Mas se gostou da sinopse, dê uma chance a A namorada do meu amigo, vai que você gosta!

      Excluir
  2. deve ser uma leitura boa pra mesclar entre livros mais densos, não é ^^
    nunca li nada da autora, mas vejo falarem super bem dela. Quem sabe um dia eu me dê a chance de curtir esse 'triângulo amoroso' hehe
    bjs
    http://torporniilista.blogspot.com.br/2014/09/a-capitolina-edicao-8-agosto2014.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim uma leitura para relaxar de outra mais densa! Depois leia mesmo algo da autora, talvez acabe gostando e falando bem também! rs

      Excluir
  3. Gosto muito de uma história leve e divertida, romance fofo e juvenil, estou bastante interessada em ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então acredito que irá gostar bastante desse livro!

      Excluir
  4. Ai ai! Mais um livro para minha lista de desejos... Estou em uma onda de querer comprar livros nacionais e sua resenha só aumentou o meu desejo! Amei a resenha!
    Beijo
    Anne do twinswithbooks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ;DD Adoooooro quando gostam das resenhas! E não abandone a sua onde de desejar livros nacionais, vamos valorizar a nossa literatura!

      Excluir
  5. Olá Ana!

    Estou louca para ler este livro *O* Sou apaixonada por livros leves, envolventes, que me deixa presa na cama durante a tarde inteira, até terminar a leitura <3 rs. Este parece ser um deles! Adorei a resenha :D

    Beijos,
    Ana M.
    www.vicioemlivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ;D Que bom que gostou! E A namorada do meu amigo é bem como descreveu, acho que você irá gostar!

      Excluir
  6. Aii que lindo Ana!!!
    estou morrendo de curiosidade em ler este livro! *-*
    confesso que adoro este tipo de trama... clichê e tudo o mais né hahaha
    espero conseguir ler logo ;~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk Então não deixe de lê-lo! Uma trama clichê é boa de vez enquanto!

      Excluir
  7. Sabe Ana, não são só os personagens que pensam assim (infelizmente) "Mulheres para pegar e outras para namorar", já vi conversas de amigos e dos meus irmãos com esse mesmo teor... triste não?! Tenho 23 anos e ainda não entendo esse ponto de vista de alguns homens haha rir para descontrair pois é tenso. Gostei da premissa do livro e mais ainda por ele ser nacional. Já está na minha lista.

    Beijos
    Passaporte Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, infelizmente esse é um pensamento bem forte na nossa sociedade e fico triste em ver algo errado assim reproduzido em um livro.

      Excluir
  8. Nem sabia que era um livro nacional esse.
    Mas, como não é meu tipo de leitura favorito, e não parece ter um algo mais especial que me chame atenção, não entrou para minha lista de desejados.
    E uma pena ter esses pensamentos machistas de homens que gostam de ficar com qualquer uma mas que julgam mulheres que fazem o mesmo, acho ridículo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena que o livro não te chamou atenção! E uma pena maior ainda ter pensamentos machistas, pois além de particularmente eles me incomodarem, ainda me preocupa alguns pessoas lerem o livro e achar isso correto!

      Excluir
  9. Oi Ana acredita que ainda não li nada da autora? Pois é, tenho o livro anterior dela pela Novas Páginas, pretendo ler ele antes de me aventurar neste.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  10. Eu me surpreendi com o livro. Estava olhando um catálogo atrás de um livro para ler e o encontrei. Não conhecia a autora e nem costumo ler livros do gênero ou mesmo brasileira. Então dei uma chance e pronto me encantei! A história é muito cativante e atrativa não é atoa que o li em 3 dias. Cadu é um ótimo amigo, que infelizmente chegou no momento errado e perdeu a oportunidade de ficar com a garota. É um mocinho estudioso e responsável, de bom caracter que encontra outras maneiras além da beleza para conquistar alguém. Beto ao mesmo tempo que deixa o leitor com ódio dele por tanta grosseria e temperamento forte, tbm causa um sentimento de companheirismo, ou seja o sentimento de não querer magoa-lo e nem perder a sua amizade que Cadu tem por ele, traspassa para o leitor e o ver como seu melhor amigo. O caveira só vem para aperfeiçoar o trio, ou seja eles devem ser aqueles grupinhos de garotos que devem ter em todo condomínio ou escola que deixa os pais, vizinhança e garotas loucas. Juju e Alice tem dois tipos de personalidade de garotas diferentes que tbm causa uma grande paixão com o leitor. Assim não teria como não se apaixonar por Juju ou resistir as tentações de Alice, Cadu foi muito forte. Então este livro me cativou por não trazer personagens estereotipados que já estamos acostumados. Por se passar em uma cidade do interior achei bem interessante os bailes, coisas que não sabia que existia ainda. Ao todo gostei muito do livro e que me deu outra visão da literatura juvenil brasileira. Apenas o que não gostei foi que me faltou um encontro entre Cadu e Juju para terminar perfeito. Super indico a todos!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que esse nacional te surpreendeu e te agradou! Para mim, os personagens são um pouco estereotipados sim, especialmente as garotas, mas todos são cativantes. Pois é, o final não é daqueles de filme, com direito a beijo na chuva rs, e sim bem mais real, o que me agradou bastante!

      Excluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)