16.9.14

Resenha: A Máquina de Contar Histórias - Maurício Gomyde

Título: A Máquina de Contar Histórias
Autor: Maurício Gomyde
Editora: Novo Conceito
Selo: Novas Páginas
ISBN: 978-85-8163-504-0
Ano: 2014
Páginas: 192
Classificação: 55 [ótimo]
Sinopse: Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das fi lhas, sem amigos... O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar. Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V. Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde.


Vinícius Becker é o escritor mais aclamado do Brasil e também muito bem conhecido lá fora. Suas histórias já emocionaram milhares de leitores, mas seu talento para alcançar e conquistar pessoas não parece funcionar mais com as filhas. Há anos sua esposa, Viviana, lutava contra uma doença terminal enquanto o marido escrevia e publicava um livro atrás do outro. Valentina permaneceu do lado da mãe até o fim, que chegou justamente no dia de mais um lançamento de Vinícius. 
“Uma ‘máquina de contar histórias’ – era como Salvatore o chamava. Frio, certeiro e veloz. Emoções transcritas no papel de forma científica, como se amor, ódio, pena e saudade fossem tópicos de um fichário que ele abria, selecionava e inseria com precisão nas entranhas do texto.” Pág. 14 
Viviana morreu sem o marido ao seu lado, que quase não chegou para o enterro da mulher. Vinícius fica sem chão, ele finalmente percebe que sua família está desmoronando e, sem a Viviana ao seu lado, ele não sabe o que fazer. As filhas o odeiam e ele não sabe absolutamente nada sobre elas, algo que o pai descobre ao encontrar um e-mail irado de Valentina para uma amiga. Ele descobre que a garota o odeia, mas também que, como ele, ela é escritora. Valentina escreveu um livro com a mãe, obra que Vinícius lê as escondidas e descobre ser muito boa, talvez até melhor que qualquer um de seus livros. Vinícius têm técnica e experiência, mas Valentina tem paixão, ela escreve com a alma, algo que ele deixou de fazer a muitos anos. 

Assim, Vinícius decide que está na hora de recuperar tudo pelo qual ele tinha aberto mão em nome da carreira. Infelizmente, ele não pode trazer Viviana de volta a vida, mas pode redescobrir como superar a perda dela ao lado das filhas. Vinícius planeja uma viagem: três destinos misteriosos, três cidades maravilhosas aonde aos poucos ele vai abrindo o coração de suas meninas. Entretanto, não será tão fácil quanto ele incialmente imagina. Vinícius esperava, com a viagem, ensinar tudo o que pudesse sobre literatura para Valentina, mas, no final, ela é que o ensinará que, nas tramas da vida, não existem técnicas para se alcançar perfeição e que apenas o amor e a dedicação podem transformar uma péssima história em algo belo. 
“Apostaria nesse plano todas as fichas de pai, acumuladas durante o tempo em que a literatura ainda não o havia cegado para as outras coisas da vida. Sua habilidade de escritor seria usada, agora, para contar uma “história ao vivo”. O roteiro? Escrito a seis mãos. As personagens? Valentina, Vida e Vinícius Becker. Os cenários? Três cidades. O final? Não sabia, mas faria de tudo para ser feliz...” Pág. 74 
Fiquei louca para ler A Máquina de Contar Histórias depois de participar de um bate-papo com o autor na Bienal do Livro de SP. Li o livro na volta para casa, que fui tudo aquilo que eu esperava. 

A Máquina de Contar Histórias é uma história emocionante e surpreendente. É impossível não ficar, pelo menos, com os marejados durante a leitura. Gomyde criou uma história singela, mas rica em significados, que conquista e comove o leitor do início ao fim. A trama foi muito bem desenvolvida e amarrada. A narrativa em terceira pessoa do autor está extremamente fluída e gostosa de ler, devorei o livro em poucas horas sem ao menos perceber a passagem do tempo. 

Apesar de a história ser naturalmente dramática, a trama é muito equilibrada nesse ponto. Gomyde soube mesclar bem os momentos mais leves com as cenas mais tensas, onde é quase impossível segurar o choro. Não sou muito fã de drama, mas como o autor soube dividi-lo muito bem ao longo do livro, felizmente A Máquina de Contar Histórias não é uma leitura que deixa o leitor triste, coisa que não gosto. 

Mas, para mim, o mais mágico de A Máquina de Contar Histórias foi que, além de uma história comovente sobre o reencontro de um pai e suas filhas, o livro também fala muito de arte, especialmente de literatura. A Máquina de Contar Histórias é carregado de referências não só literárias, mas também da música, que tem sua importância para a trama. A obra faz o leitor refletir como os personagens: o que realmente torna uma história boa, a técnica ou a paixão? E toda a discussão entre Vinícius e Valentina foi muito inspiradora para mim, que apenas sonho em ser escritora, mas que viu esse desejo ser inflamado conforme lia história – que acabou também dando algumas dicas preciosas sobre o processo de escrita. 

Nesse sentido, me identifiquei bastante com Valentina. Ela é apenas uma garota, muito marcada pelo sofrimento da mãe e o distanciamento do pai, e que vê na escrita seu modo de fugir, de se libertar. Entretanto, apesar da escrita ser tão importante para ela, Valentina não consegue admitir para si mesma o quanto ela quer ser escritora, pois isso acabaria a deixando parecida com o pai. No início, Vinícius me irritou bastante. Quando sua família mais precisava dele, ele escolheu focar-se apenas na carreira. Entretanto, com o desenrolar da história percebemos que, no fundo, ele não foi muito diferente de Valentina. Quando se viu diante uma situação terrível que não podia controlar – a doença da esposa -, ele fugiu para o único lugar onde ele era capaz de dar um final feliz a todos: suas histórias. Conforme vai conquistando a confiança, o respeito, o carinho e o perdão das filhas, Vinícius faz o mesmo com o leitor. Ele pode ter errado no passado, mas realmente faz de tudo para acertar no presente e no futuro. Os outros personagens também foram bem construídos, todos com papel na história. A que mais me encantou foi a Vida, a filha mais nova de Vinícius, uma menininha fofa que acrescenta momentos descontraídos a trama. 

Também não tenho reclamações quanto à edição. A diagramação estava perfeita, com detalhes super fofos e que tem tudo a ver com a história. A capa desse livro é simplesmente divina! Além de muito linda, ela traz elementos importantes dentro da trama, assim como o ar singelo e emocionante da obra. 

A Máquina de Contar Histórias foi uma excelente leitura, que me divertiu e emocionou. Esse é o segundo livro do Gomyde que leio e, apesar de ainda preferir Ainda não te disse nada (resenha aqui), tenho igual carinho com A Máquina de Contar Histórias, que me deixou ainda mais sedenta por outros livros do autor. 

Recomendo A Máquina de Contar Histórias para todos que procuram uma leitura rápida e fácil, mas emocionante. Para quem quer um livro que além de ter uma história comovente, fale bastante de literatura, essa é a obra certa para você. 
“- Escrever é muito mais do que uma profissão. É uma atitude de amor, de entrega ao que se quer contar.” Valentina, pág. 95
*Esse livro foi uma cortesia da Editora Novo Conceito


Leia também: 

Comente com o Facebook:

10 comentários:

  1. Eu já li todos os livros do autor, exceto este que nem sei porque ainda está estacionado na minha estante!!!Pois é, porque ele ainda está ali sem ser lido? Nem eu sei dizer já que tenho a mais absoluta certeza de que vou amar cada página desta história....preciso ler logo!

    Beijo, Van - Blog do Balaio
    balaiodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, então leia A máquina logo! Você vai adorar!

      Excluir
  2. Oie Ana
    minha relação com os livros do Mauricio é muito pessoal. Já li três livros deles, e todos são favoritos. Ainda nutro um amor maior por Ainda não te disse nada, mas A máquina também marcou muito.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  3. Sou fã de Maurício Gomyde, sua obras são cheias de sentimentos, nos faz rir, chorar, zangar, vibrar! Claro que não poderia se diferente com esse. Ele amadurece e m]nops pega pelos pés a cada livro publicado. Feliz demais que você tenha gostado. Comprei esse livro, e breve estarei devorando também. Eu mereço essa alegria.
    Parabenizo-a pela belíssima resenha!
    Bjos
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do livro, mas achei alguns pontos bastante previsíveis. Também me identifiquei bastante com a Valentina e adorei as dicas sobre literatura e escrita.
    Beijos!
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alguns pontos realmente foram previsíveis, mas os que foram surpreendentes acabaram compensando. As dicas sobre literatura são mesmo ótimas, não?

      Excluir
  5. eu tbm fiquei apaixonada por esse livro, e nunca tinha lido nada de Gomyde, apesar de ver opiniões sempre positivas sobre seu trabalho.
    Fiquei sedenta de outros títulos dele tb rsrsrs
    bjs ^^

    ResponderExcluir
  6. Oi ANa, tudo bom?? menina, é tão bom ver nossos autores nacionais ganhando o mercado brasileiro e podendo mostrar seu talento a todos os leitores. E esse definitivamente é o caso do Maurício, ele tem um geito de escrever que nos envolve, e pelo que vejo em sua resenha, esse novo livro dele é tocante, cheio de emoções, superações, perdão, reconquista,perdas. Parece que ele conseguiu construir uma história fascinante. Parabéns pela resenha. Quero muito ler e ter esse livro...bjs

    ResponderExcluir
  7. Só li um livro do autor e gostei muito. Outra obras dele eu vou querer conhecer, inclusive esta.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  8. Estou doida pra ler esse livro, parece ser ótimo mesmo e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais ansiosa pra conferi essa história.

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)