24.3.14

Resenha: Azul da Cor do Mar - Marina Carvalho

Título: Azul da Cor do Mar
Autora: Marina Carvalho
Editora: Novo Conceito
Selo: Novas Páginas
ISBN: 978-85-8163-373-2
Ano: 2014
Páginas: 334
Classificação: 4/5 [muito bom]
Sinopse: ACASO, DESTINO ou LOUCURA? No caso de Rafaela, Pode ser tudo isso junto. Para alguém como ela, nada é impossível. Rafaela sonha desde a adolescência com o garoto que viu uma vez, perto do mar, carregando uma mochila xadrez... A idéia fixa não a impediu, porém, de ser uma menina alegre e muito decidida. Ela quer ser jornalista, e seu sonho está se concretizando: Rafaela Vilas Boas (um nome tão imponente para alguém tão desajeitado) conseguiu um estágio no melhor jornal de Minas Gerais. Mas, como estamos falando de Rafa, alguma coisa tinha que dar errado. O jornal é mesmo incrível, mas seu colega de trabalho, Bernardo, não é a pessoa mais simpática do Mundo. Em meio a reportagens arriscadas – e alguns tropeços -, Bernardo acaba percebendo, contra a sua vontade, que Rafaela leva jeito para a coisa... E que eles formam uma dupla de tirar o fôlego. Mas e a mochila? E o garoto, o envelope, as cartas? Um dia a estabanada Rafaela vai ter que se libertar dessa obsessão.


Olhos azuis, mochilas xadrez e furos de reportagem. Onde o amor NÃO entra no meio de tudo isso? 

Aos onze de idade, Rafaela viu um garoto carregando uma mochila xadrez que nunca mais saiu da sua cabeça. Desde aquele dia na praia, quando ela viu o lindo garoto de olhos azuis sair do mar, a garota nutriu uma grande paixão platônica por esse desconhecido. Entretanto, suas aventuras românticas (imaginárias, claro) com o Garoto não a impediram de crescer feliz e determinada. Rafaela sempre sonhou em ser Jornalista, carreira que segue para a decepção de seus pais, que desejavam ver sua filhinha mais nova fazer qualquer outra coisa.
“Descobri que queria ser jornalista aos treze anos. No começo meu pai achava engraçado e dizia que eu acabaria mudando de ideia quando ficasse mais velha. Só que não mudei, meu pai parou de achar de graça e tentou me convencer a escolher outra profissão.” Pág. 10 
Aos vinte e um anos, morando com dois de seus três irmãos mais velhos na capital mineira, Rafaela está prestes a ver um de seus maiores sonhos se realizar. Uma aluna aplicada e inteligente, a garota consegue um estágio no melhor jornal do estado, o Folha de Minas, exatamente na editoria em que queria: a de jornalismo investigativo. Mas tudo tem o seu preço e a vaga dos sonhos de Rafa veio com o Bernardo. Bonito e o melhor no que faz, o jornalista de olhos azuis não é de muitos amigos e não está nem um pouco feliz por ter a garota como sua mais nova parceira. 

Bernardo não perdoa e faz Rafaela de gato e sapato, dando-lhe as tarefas mais chatas e enlouquecendo-a o tempo todo. Mas a garota rapidamente prova o seu valor e talento como jornalista, o que parece provocar ainda mais ódio no seu colega. Apesar das diárias desavenças, Bernardo e Rafa trabalham muito bem juntos, conseguindo os melhores furos e reportagens, o que compensa um pouco o fato de um achar o outro insuportável. Tirando o Bernardo azucrinando sua vida, Rafa não tem muito do que reclamar. Seu estágio está lhe rendendo bons frutos e boas experiências, isso sem falar no gatinho da seção de esportes que parece estar sempre por perto. 
“Claro que eu já namorei, já saí com alguns caras, mas nunca consegui me envolver totalmente. Devo ter algum problema psicológico; só Freud mesmo para explicar minha fixação pelo garoto, o que me impede de ser livre para me apaixonar por quem quiser.” Pág. 94 
Marcelo não é só um rostinho bonito de olhos azuis, é um homem gentil e atencioso, completamente diferente de Bernardo. Apesar de estar gostando da amizade que está surgindo com Marcelo, Rafa não tem certeza de que pode haver algo mais entre eles, afinal, e o Garoto? Ele sempre foi apenas uma fantasia boba, mas é inegável que Rafa nunca conseguiu emplacar em um relacionamento de verdade e que, volta e meia, escreve cartas para ele em seu diário. Mas será que é o Garoto que está impedindo que seus sentimentos por Marcelo ou qualquer outro homem floresçam, ou há outro rapaz de olhos azuis irresistíveis nessa história? 
“Foi durante aquele abraço que minha ficha caiu. Na verdade, parecia que uma tela de proteção bem opaca havia sido retirada abruptamente dos meus olhos. Até que eu tinha resistido bastante a me permitir enxergar. Contudo, naquele momento, eu soube: estava apaixonada. Pág. 192 
“Azul da Cor do Mar” é um chick-lit leve, muito atual e divertido, do início ao fim. Bem despretensioso, o livro aborda situações bem divertidas e até mesmo as mais dramáticas com muito bom-humor, é impossível não rir com as peripécias da Rafa. A obra caracteriza bem o gênero chick-lit, com seus clichês femininos, acontecimentos um pouco exagerados e com as muitas mancadas da protagonista, mas a trama e os personagens são tão cativantes que é impossível não gostar da obra. A narrativa em primeira pessoa é tão divertida quanto a história em si, além de leve e com um ritmo natural. Carvalho conseguiu surpreender em muitos momentos com sua trama bem desenvolvida e me prendeu do início ao fim do livro, que li em dois dias. “Azul da Cor do Mar” é aquele tipo de leitura tão gostosa que você passa horas mergulhada dentro do livro sem sequer perceber a passagem do tempo. O cenário escolhido também foi muito favorável. Adoro histórias que se passam no meu estado (não nego, sou apaixonada com as minhas Minas Gerais), mas também adorei o clima da redação do jornal onde Rafa trabalha. As aventuras de Rafa no mundo do jornalismo são muito divertidas e ainda mais legais para quem, como eu, tem uma quedinha pela vida de quem trabalha nos meios de comunicação. 
“Para mim, aquele trabalho foi uma lição de vida. É engraçado como nos acostumamos com determinadas situações a ponto de parar de refletir sobre elas. Na nossa concepção – pré-concebida a partir de estereótipos definidos pela sociedade -, bandido é bandido, mochinho é mocinho. Bem assim, separados, em lados opostos. Mas a linha divisória entre os dois mundos é tênue, permitindo muitas outras classificações. Portanto, casa vez mais entendo que o papel do jornalista extrapola a transmissão de notícias. Temos o dever de mostrar a realidade do jeito que ela é, sem subterfúgios.” Pág. 109 
Os personagens são tão cativantes e bem feitos quanto a trama, todos com personalidade própria, papel na história e muito bom humor. A nossa protagonista Rafaela é uma garota divertida, alto astral e decidida que ganhou minha simpatia nas primeiras páginas. A sua ingenuidade me irritou em alguns momentos, assim como outras características clichês da personagem, mas a personalidade dela é tão fofa que é impossível não gostar da Rafa. Me identifiquei com ela em grande parte da história e adorei sua atitude corajosa, mas sempre gentil. O Marcelo foi um personagem que me dividiu, já que seu comportamento mudou ao longo da trama, o que não aconteceu com o Bernardo, que também mudou, mas que acabou conquistando um lugarzinho no meu coração. Mas os gatos que amei mesmo foram os três irmãos da Rafaela. Augusto, Gustavo e Ricardo são uns fofos e acho que cada um merecia um livro só para eles! Sério, fica a dica para a autora – tenho certeza de que todas as meninas que curtiram “Azul da Cor do Mar” iriam amar mais algumas aventuras com esses três irmãos. 

A edição do livro é um show a parte. A diagramação é cheia de detalhes muito fofos que combinam muito com a história (fotos no final da resenha). Um que mais me encantou, além dos desenhos fofos ao longo de todo o livro, foram os trechos sobre redação e jornalismo no início de cada capítulo. As páginas cor de creme deixaram a leitura do livro ainda mais rápida. O tamanho e tipo da fonte estavam perfeitos e gostei muito das fontes diferentes usadas quando o texto era de mensagens trocadas pelos personagens, ou e-mails, cartas, recados, etc. Também fiquei encantada com a capa e o fundo do livro. Ambos são divinos, muito bem feitos e perfeitos para a trama. Também adorei o tom de azul usado na lombada e nas orelhas (foto abaixo). 


“Azul da Cor do Mar” foi uma leitura deliciosa, perfeita para ser lida de uma vez em uma tarde tranquila. Recomendo-o para todos os amantes de chick-lit e romances românticos, mas também para aqueles que procuram uma leitura leve e despretensiosa para descansar a cabeça. O livro me lembrou muito “Até Eu Te Encontrar”  de Graciela Mayrink (resenha aqui) e “Dizem por aí...” de Jill Mansell (resenha aqui), dois romances divertidíssimos que também recomendo. Gostei bastante de “Azul da Cor do Mar” e fiquei encantada com a autora. Espero ler mais obras da Marina Carvalho em breve e espero que elas sejam tão boas como essa.      



Comente com o Facebook:

16 comentários:

  1. Oi Ana
    Adorei este livro assim como vc, estou doida para ler outros livros da autora. Ela me conquistou com seus personagens..
    Beijos Mila

    ResponderExcluir
  2. estou doida para ler este livro da Marina. desde que vi os primeiros comentários dele e quando li a sinopse fiquei mega curiosa!
    gosto muito deste tipo de livro, e sinto que a trama vai me agradar bastante também! *-*
    a diagramação do livro ficou linda né!!!

    ResponderExcluir
  3. Que resenha!! Fica estranho dizer que amei? rsrs
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Amei a resenha. Fiquei encantada com seu texto. Obrigada pelo carinho. S2
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Quando li a sinopse, não me liguei que era um chick-lit, rs.
    Gostei bastante da resenha e amei os detalhes da diagramação.

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana!
    Apesar de ter esse livro, eu ainda não havia nem lido a sinopse com atenção, então não sabia muito bem sobre o que era até ler sua resenha. Eu adoro chicklits, então acho que vou gostar dele!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  7. Ahhh Fiquei animadíssima para ler! Sou apaixonada por nacionais e sempre que posso estou lendo um autor nosso (Só fiquei com o pé atrás com a comparação a Dizem por aí rsrs meio que detestei Dizem por aí haha mas isso não quer dizer nada e vou me jogar na leitura!). Apaixonada pela diagramação do livro <3

    Beijos :)

    ResponderExcluir
  8. Oi, eu adorei o livro, foi o segundo que li da autora da qual virei fã!
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  9. Oi Ana!
    Gostei bastante de Simplesmente Ana, que também é da autora, mas não estava tão animada para ler esse. Agora que já li algumas resenhas positivas fiquei mais curiosa sobre a leitura.
    Beijos
    http://sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Sou apaixonada por chick-lits, e estou muito curiosa quanto a este, ainda mais porque muita gente anda elogiando a história e a escrita da autora.

    E-mail: juliamariamoraes2013@gmail.com
    Nome de seguidor: Julia Moraes

    ResponderExcluir
  11. Mesmo que eu já tenha lido diversas resenhas sobre este livro, nunca me interessei por ele.

    ResponderExcluir
  12. Oi Ana!! Tudo bem??
    Ainda não tive a oportunidade de ler nada da autora,mas já tenho seus livros na lista de desejados, e amei poder ler a resenha deste livro que parece ser uma leitura bastante agradável e leve, e sem falar desta linda capa!! espero poder conferir em breve!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  13. Achei interessante a premissa do livro, mas não sei se leria. Não é o gênero que mais gosto, prefiro livros com mortes. rs
    Mas, acho que pode ser uma boa pedida entre dois livros mais densos.
    Adorei a sua resenha, como sempre.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista

    ResponderExcluir
  14. eu achei a capa desse livro linda, mas sei lá... a história não me 'pegou'. Nunca li nada da autora, até um outro título dela tbm não me atraiu. =/
    Realmente a estética do livro ajuda, mas ainda assim, por ser um chick-lit [que não faz meu gênero] eu não leria esse livro tão cedo, SE lesse...

    bjs
    http://torporniilista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. O livro é perfeito, a capa é linda, simplesmente amei, ♥ já li e recomendo

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)