1.5.13

Resenha: A Mulher de Preto - Susan Hill

Título: A Mulher de Preto
Autora: Susan Hill
Editora: Record
Ano: 2012
Páginas: 208
Classificação: 3/5 [bom]
Sinopse: O jovem advogado Arthur Kipps, foi enviado a cidade mercante de Crythin Gifford para verificar os documentos e os papéis particulares da recém-falecida Sra. Alice Drablow, uma viúva idosa que vivia sozinha na solitária e afastada Casa do Brejo de Enguia. Enquanto trabalha na casa, Kipps começa a descobrir seus trágicos segredos. A situação piora quando ele entende que o vilarejo é refém do fantasma de uma mulher magoada, em busca de vingança.


Arthur Kipps, um advogado aposentado, vive feliz em sua casa no campo, ao lado da esposa Esmé e dos enteados. A família toda estava reunida na véspera de Natal, quando um dos filhos de Esmé pede a Arthur que conte uma história de terror, proposta que ele recusa. Todos ficam intrigados por causa da reação de Arthur, mas ninguém comenta mais nada sobre o assunto. Entretanto, o próprio Arthur resolver esclarecer os motivos da sua recusa e assim ele começa a escrever sua história. 

Muitos anos antes, quando ainda era um jovem advogado e noivo de uma jovem chamada Stella, Arthur recebeu de seu patrão a missão de ir até Crythin Gifford, uma pequena cidade do interior da Inglaterra, para comparecer ao enterro da Sra. Alice Drablow e organizar documentos e papéis da falecida. Assim, Arthur deixa Londres e vai de trem até a cidade. Ao chegar ao lugar, ele é inicialmente encantado pela planície onde o lugar fica e os belos brejos que cercam a Casa do Brejo da Enguia, a mansão da Sra. Drablow, que fica ilhada quando as marés cobrem os traiçoeiros brejos que a cercam. 
“Houve um terrível momento em que as águas começaram a se fechar ao redor dele e a borbulhar, e então, por cima de tudo, por cima dos gemidos e da luta do pônei, o grito de criança, que crescia até virar um berro de terror, lentamente sufocado e afogado; e finalmente, o silêncio.” (Pág. 148/149)
Mas, logo ao chegar a cidade, Arthur percebe que muitos mistérios cercam essa falecida senhora e sua sinistra casa. A Sra. Drablow era uma viúva reclusa da qual os habitantes da pequena Crythin Gifford evitam falar. No enterro da mulher, comparecem apenas Arthur e outro advogado local, Sr. Jerome. Entretanto, Arthur vê uma misteriosa senhora vestida de preto no enterro, assim como várias crianças perto da igreja onde o cemitério se localizava. Sr. Jerome reage estranhamente quando Arthur fala da mulher de preto, aparentemente, ele não a viu.
“Ela havia estado lá. Eu a vira. Quem quer que ela fosse, esse era o foco de sua busca ou de sua atenção ou de seu luto – eu não sabia definir qual. Esse era o próprio coração da assombração.” (Pág. 177)
Os acontecimentos estranhos continuam, principalmente quando Arthur começa a frequentar a casa da Sra. Drablow a procura dos documentos e papéis que seu patrão o mandou organizar. Barulhos estranhos na casa e no brejo começam atormentar Arthur, assim como essa estranha mulher de preto, que aparece quando ele menos espera. Através dos papéis da falecida, das informações que conseguirá arrancar dos locais e, principalmente, dos sinistros acontecimentos que irá viver, Arthur começará desvendar a história por trás do medo e mistérios que cercam a Casa do Brejo da Enguia. De uma forma que testará sua lógica e sanidade, esse jovem advogado irá descobrir uma história de dor, ódio, morte e vingança que o atormentará pelos restos de seus dias.
“Seu rosto, em sua palidez extrema, os olhos, afundados porém brilhantes de uma forma não natural, queimavam com a intensidade da emoção passional que havia dentro dela e que emanava.” (Pág. 84)
Há algum tempo, assisti ao filme “A Mulher de Preto” e, apesar de ter odiado o final, gostei bastante da história e fiquei curiosa para ler o livro de mesmo nome do qual ele foi inspirado. Sim, o filme foi inspirado no livro e não uma adaptação dele. Apesar do pontapé da trama ser semelhante, os acontecimentos se desenrolam de uma forma diferente, assim como a resolução dos conflitos e o final. Peguei “A Mulher de Preto” com boas expectativas e, acabei gostando da história, mas me decepcionado um pouco. Com uma narrativa agradável, leve e que flui com facilidade, o livro trás tramas e personagens mais bem amarrados e completos, apesar de que não tão intrigantes como no filme. Enquanto o longa mantém a tensão viva do início ao fim, o livro tem uma abordagem mais completa e calma, com momentos fortes intercalados com momentos mais fracos. 

Os personagens, como disse, são mais completos. Cada um teve seu papel e personalidade própria, com destaque para nosso protagonista e narrador Arthur. Como os bons mocinhos dos livros antigos, Arthur é um rapaz corajoso e educado, mas que também demonstra seu lado arrogante e descrente, assim como seu lado mais sensível. O personagem não tem medo de admitir que sentiu medo, que chorou, mas também não pensa duas vezes antes de salvar a pobre cadelinha Aranha. Arthur foi cativante, me conquistou tanto com a sua personalidade quanto com a sua narração. 

Quanto a trama, a autora soube desenvolver os acontecimentos de modo que a história tivesse um início, meio e fim coerentes e que satisfizessem o leitor. Apesar de ter gostado do modo como a história se desenvolveu, como vi o filme antes de ler o livro, senti falta dos sustos e tensões a todo momento, o que deixou o livro um pouco monótono. 

No geral, gostei do livro, mas, como vi o filme primeiro, esperava mais ou esperava algo diferente. Na questão livro versus filme, acho que os dois estão equilibrados, já que ambos têm seus pontos negativos e positivos. O filme é mais envolvente, mas trás uma trama e personagens superficiais, já o livro é completo em todos os sentidos, mas não nos intriga a todo momento. Recomento, tanto o filme quanto o livro, para quem gosta de histórias de suspense, beirando ao terror. Entretanto, indico a todos que leiam o livro antes de ver o filme, coisa que não fiz, para evitar que se decepcionem com a história um pouco mais calma, por assim dizer, do livro. 

“A Mulher de Preto”, como está escrito na contra capa, não é uma história de terror, como foi mostrado no filme, e sim um bom suspense a moda antiga. Apesar de o livro ser de 1983, a sensação ao ler o livro é de ter em mãos uma história antiga, com sutis toques de terror e sobrenatural, mas que divertem e intrigam a sua medida, sem tirar o nosso sono à noite. 

A editora fez um ótimo trabalho com o livro. A tradução e diagramação estavam perfeitas e os únicos erros que encontrei foram falas – umas das poucas, já que esse livro não tem muitos diálogos – sem travessões, frases sem ponto final, etc. A capa, que é a mesma do filme, combina com a história ao retratar o protagonista, o jovem Arthur, e é bonita. Entretanto, acho que faria mais sentido que quem aparecesse fosse a mulher de preto, afinal ela dá nome ao livro.

Comente com o Facebook:

19 comentários:

  1. Oi, tudo bom?
    Eu assisti esse filme, e gostei bastante, agora
    não sei se leria o livro.
    Mas a capa, com o olhão do Dan me convence a comprar né?
    HAHAHA
    Gostei da resenha!

    Tem promoção lá no blog
    endless-poem.blogspot.com.br
    Beijão

    ResponderExcluir
  2. A verdade é que eu assisti o filme, não gostei, e não tenho vontade de ler o livro... :/

    My Recents Posts:
    Review do Filme ‘MAMA'

    ResponderExcluir
  3. Pelo titulo eu não me interessaria pelo livro, mas a resenha o fez interessante. Quem sabe não compre qualquer dia.

    ResponderExcluir
  4. Eu não li o livro, só vi o filme, e depois soube que a história era meio que um clássico da literatura inglesa.
    Confesso que não gostei mtu do filme, esperava mais. Mas aquele característico ar sombrio dos ingleses me encanta :)

    http://autoracarolinaribeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu assisti o filme e achei ótimo mas só pela resenha vi que o livro é diferente por que o Arthur esta velho e contando a estoria no filme bem não é isso que acontece né já que no final ele fica com a família dele né hehe

    bjos

    ResponderExcluir
  6. Eu não gostei do filme,e fiquei bem surpresa quando descobri que havia um livro.Achei estranho,porque no filme,os personagens quase não falam,então daria uma narrativa bem estranha...
    Concordo com o que vc disse sobre a capa.Ficou muito bonita,mas é estranho um livro chamado A Mulher de Preto,ter um homem na capa.
    beijos :D

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Tenho o livro mas ainda não consegui ler.
    Também quero ver o filme, mas dizem que não é tão bom.
    Adorei a resenha!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Eu li esse livro e adorei! É viciante, e embora tenha me deixado arrepiada várias vezes, ele foi direto para a prateleira dos favotitos...
    Ah, e gostei muito da sua resenha <3
    bjs,
    Gi

    www.blogestantemofada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Adorei a resenha!! Estou querendo ler esse livro, mas deve dar muito medoo! Ainda mais eu que sou muitoo medrosa!
    Beijos,
    aninha

    http://blogamantesdelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bom?
    Não tinha ainda ouvido falar desse livro, mas parecer ser bem interessante!!
    Gostei das citações tbm (:
    Território das garotas
    @territoriodg
    Bjss *-*
    Passa lá no blog?
    http://territoriodascompradorasdelivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. serio que você não gosto do filme? eu vi e gostei bastante dele! ;~~
    realmente, eles são bem diferentes e não esperava por isso
    quando vi o filme não sabia da existência do livro... e na verdade conheci ele pelo seu blog, mas agora estou bem curiosa para ler... tomara que o livro seja melhor que o filme ;D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rayme,

      eu gostei do filme, só que odiei o final! ;D

      Bjs

      Excluir
  12. Olá Rayme,
    Eu não gostei muito do filme, porque deu muito medo, e não é muito meu gênero.
    O livro, depois de ler sua resenha (pensava que o livro era terror tambem, mas percebe-se que nao) me deu uma boa vontade de ler.
    ótima resenha!

    Beijos
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oiiie!!! Tem filme??? Meu Déeeeusl como sou att.
    Gostei da sua resenha, mais não sei se leria o livro.
    Brubs

    ResponderExcluir
  14. nao tenho muita curiosidade por esse livro, nem pelo filme
    gostei da resenha, gostei dos pontos que vc levantou como bons e os não tão bons, o livro como um todo parece ser bacana, mas esse eu passo...

    bjos e parabens pela resenha!

    ResponderExcluir
  15. Não conhecia o livro nem sabia que tinha um filme.

    Achei a história muito interessante. Imagine só um fantasma vingativo.

    ;)

    http://pseudonimoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oiii

    Três estrelinhas amiga?!
    Eu esperava mais do livro, porque quando saiu o filme eu gostei muito (tirando o final) hehe
    Haa concordo com vc quanto a capa.. Não sabia que este livro era de 1983.
    Adorei a resenha..


    Beijos Mila
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Foi isso que fez minha leitura ficar triste, inventei de assistir o filme antes :/ ai me deparei com o enredo calmo do livro e não gostei muito ahahha mas no geral é um livro bonzinho *----* e leitura nunca é demais
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Eu só queria saber em que ano se passa a história.

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para expressar a sua opinião, para divulgar o seu site/blog ou para elogiar ou criticar o blog! Lembrando que comentários com conteúdos agressivos, ofensivos ou inadequados serão excluídos.

(Você também pode entrar em contato comigo por e-mail, formulário ou pelas redes sociais. Saiba mais na página "Contato".)